Mercedes registra lucro de R$ 565 milhões com equipe de Fórmula 1 em 2022

Mesmo sem títulos pela primeira vez desde 2013, Mercedes viu receita aumentar com maior fatia de premiação da Fórmula 1 e lucrando com retorno da normalidade no Mundial após pandemia de covid-19

A Mercedes declarou uma receita de £474,6 milhões (R$ 2,9 bilhões) com a temporada da Fórmula 1 em 2022. O valor representa um aumento de £91,3 milhões (R$ 565 milhões) em relação ao valor do ano anterior, que foi de £383,3 milhões (R$ 2,3 bilhões). Este número é dividido em 51% de patrocínio e licenciamento, 30% das bonificações da categoria e 19% para outras fontes de renda, especialmente a divisão de ciência aplicada.

O aumento na premiação em 2022 aconteceu porque 2021 ainda foi uma temporada bastante afetada pelos efeitos da pandemia de covid-19, com diversas corridas lucrativas ainda fora do calendário e adições eventos de última hora feitas, além também de provas realizadas com restrições de público. A fatia para ser dividida entre as equipes foi maior.

Relacionadas

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Lewis Hamilton sofreu com o W13, mas Toto Wolff disse que o conceito do carro é motivo de "orgulho" (Foto: AFP)

O custo de gastos de competição aumentou em valor menor que a receita, passando de £297,4 milhões para £350,8 milhões. Isso acontece como efeito das diversas atualizações e recursos lançados no W13, o carro de 2022, primeiro ano do novo regulamento da Fórmula 1. O W12, por exemplo, teve uma grande manutenção de componentes em comparação com o W11, já que a própria introdução de um novo regulamento foi adiada de 2021 para 2022. O retorno de corridas que marcam grandes viagens, como Austrália e Japão, também influenciou nos custos.

O valor total da receita também inclui uma contribuição da divisão de ciência aplicada. Após a introdução do teto de gastos da Fórmula 1, em 2021, a Mercedes transferiu pessoas e outros recursos para fora do envolvimento direto na Fórmula 1, buscando evitar demissões em massa. Vendas de itens como motores e caixas de câmbio para Aston Martin e Williams estão incluídos no valor.

Em 2022, a Mercedes terminou a temporada na terceira posição do Mundial de Construtores com 515 pontos. A equipe venceu apenas uma vez, com o triunfo de George Russell no GP de São Paulo. Foi o primeiro ano do time de Brackley sem títulos desde 2013.

Fórmula 1 volta daqui a duas semanas, entre os dias 20 e 22 de outubro, em Austin, com o GP dos Estados Unidos, o primeiro da última perna tripla da temporada. E o GRANDE PRÊMIO acompanha tudo.