F1 resiste, mas diz "esperar teste" para julgar pneus sem cobertores térmicos da Pirelli

As equipes ainda mantêm o pé atrás, mas darão chance aos pneus sem cobertores térmicas da Pirelli no próximo teste, em Silverstone

A Pirelli até tenta convencer, mas as equipes do grid da Fórmula 1 parecem não gostar muito da ideia de extinguir os cobertores térmicos dos pneus para a próxima temporada. Por isso, a atual fornecedora da F1 tem até o final de julho para fazer os times mudarem de ideia.

Vale ressaltar que os compostos de chuva extrema sem cobertores já foram utilizados no GP de Mônaco. O objetivo era fazer o mesmo com os intermediários em Singapura, mas as equipes também rejeitaram.

Relacionadas

Alguns pilotos já testaram os novos pneus. A última rodada será em Silverstone, após o GP da Inglaterra. Williams, Red Bull e Haas vão participar.

“Acho que vamos reservar o julgamento até fazermos um teste”, disse Christian Horner. "Daniel [Ricciardo] vai pilotar o carro no teste, receberemos o feedback e tenho certeza que a Pirelli tomará a decisão certa", continuou.

Pirelli terá concorrência da Bridgestone em 2025 (Foto: William West / AFP)

"Não acho que seja o que os pilotos querem. Mas meu medo com essas coisas é que, quando você pensa que vai conseguir algo simplista que criaria corridas melhores, haverá muito esforço para tentar aquecer os pneus muito rapidamente, o que pode gerar muito mais custos", acrescentou.

James Vowles, dirigente da equipe de Grove, foi ao encontro da opinião de Horner. "Mostre-nos um pneu em que você tira os cobertores e ele funciona. E que realmente funcione, seja em Spa com 5ºC ou no Bahrein com 40ºC, aí felizmente vou querer porque acho que é um bom passo", explicou.

"No momento, não vimos totalmente um pneu que seja capaz de fazer isso. O teste vai ajudar e nos dar outro ponto para isso. Lendo nas entrelinhas, acho que ainda não chegamos lá. Mas a direção da viagem é boa", encerrou.

Chefe da Associação de Pilotos, George Russell  também se colocou, em um primeiro momento, contra a iniciativa.  Simone Berra, engenheiro-chefe da Pirelli, tratou de sair em defesa dos pneus que estão sendo desenvolvidos para o ano que vem. De acordo com Berra, a borracha segue sendo segura, ainda que não conte com os cobertores térmicos.

“Os pilotos precisam pensar no fato de que não usar cobertores seria diferente de hoje. Então, eles têm de abordar a volta de saída de uma maneira diferente. Obviamente, em condições de frio, pode ser mais complicado aumentar a temperatura dos pneus. Mas é só uma questão de fazer a primeira parte da volta, o primeiro setor”, reconheceu Simone.