F1 23 rompe com 'pilotagem no gelo' de 2022 e enfim evolui | Review

O GRANDE PRÊMIO já testou o novo F1 23 da EA Sports, e a sensação é de clara evolução após a criticada edição de 2022. Confira as principais novidades em relação ao ano passado

O F1 23, jogo oficial da temporada 2023 da Fórmula 1, será lançado oficialmente pela EA Sports nesta semana, mais especificamente no dia 16 de junho. Aqueles que garantiram a Edição dos Campeões já possuem acesso desde o último dia 13, e o GRANDE PRÊMIO testou a cópia deste ano ainda antes disso para trazer as principais novidades. E as notícias são boas!

Depois de um ano convivendo com muitas reclamações em relação à pilotagem — que é o que realmente importa —, a EA parece ter escutado a comunidade e surgiu com uma dinâmica muito mais solta em 2023, com um controle consideravelmente maior do carro e um sistema de aderência completamente diferente, em que o monoposto enfim passa a sensação de estar 'preso' ao chão.

Relacionadas

▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Uma das principais novidades do F1 23 é a estreia da pista de Las Vegas (Foto: Reprodução)

Isso permite entradas de curva mais ofensivas, reacelerações mais rápidas e, claro, uma facilidade maior para aqueles que ainda estão dando seus primeiros passos no jogo. Para o público mais avançado, é natural esperar que jogadores de menos qualidade se aproximem em termos de nível na edição deste ano.

Além disso, o modo Breaking Point está de volta após passar por um hiato na edição de 2022, e traz a sequência da história de Aiden Jackson, que terminou o primeiro capítulo seriamente observado pelas principais equipes do grid.

No entanto, os planos do prodígio não saíram exatamente como o esperado, o que vai apresentar um comportamento bastante diferente do protagonista nesta edição. Devon Butler, considerado o 'vilão' do modo Breaking Point, também está de volta — e como filho do principal patrocinador da equipe.

Por fim, o F1 World. Principal mudança fora das pistas encontrada no game da EA, o modo compila as principais modalidades de jogo — com exceção do Braking Point e das carreiras — e oferece recompensas a quem conseguir cumprir os desafios apresentados. Sem dúvidas, uma evidente melhoria em comparação aos supercarros do ano passado.

O modo Breaking Point terá a fictícia Konnersport no grid da F1 (Foto: Reprodução)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

As partidas ranqueadas oferecem uma distribuição mais uniforme de níveis, com elos que vão do bronze até o ouro e impactam diretamente na jogatina. Um piloto novato, por exemplo, tem a opção de diminuir o nível de colisão das etapas, uma forma de realizar corridas menos caóticas e que possam gerar aprendizado para aqueles que estão começando.

O ponto negativo, porém, fica por conta da Carreira e do modo My Team. Apesar de ter recebido certo polimento e uma nova gama de cutscenes, a verdade é que a EA pouco mexeu no formato que já vem desde o ano passado e manteve uma fórmula que segue um pouco engessada. Para aqueles que curtem a experiência, porém, podem esperar um nível um pouco superior ao que foi visto em 2022.

O F1 23 será lançado para as plataformas PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One, Xbox Series S e X, além do PC. Confira o review do GRANDE PRÊMIO!