Oliveira assume “abordagem” da Honda por vaga em 2024, mas avisa: “Nada concreto”

Miguel Oliveira se mostrou lisonjeado por ser cotado para assumir o lugar deixado por Marc Márquez em 2024, mas contou que não recebeu nenhuma oferta formal

Miguel Oliveira assumiu que houve uma “abordagem” da Honda por uma vaga na temporada 2024 da MotoGP. O português indicou, porém, que “ainda não há nada na mesa”.

A Honda abriu o ano com Marc Márquez e Joan Mir contratados para 2024, mas o #93 acabou negociando uma saída antecipada para poder vestir o uniforme da Gresini e guiar uma moto da Ducati.

Miguel Oliveira assumiu sondagem da Honda (Foto: RNF)

Relacionadas

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

“Ainda não há nada na mesa, só houve uma abordagem, mas nada concreto”, disse Oliveira.

Titular da RNF, Miguel tem contrato direto com a Aprilia, que já deixou claro que não quer perder o piloto. Ainda assim, o #88 lembrou a atipicidade do ano, que viu Pol Espargaró perder o posto na GasGas Tech3 para acomodar Pedro Acosta e Álex Rins e Márquez romperem vínculos para mudar de equipe.

“Acho que vimos nesta temporada muitas coisas sem precedentes. Vimos pilotos com contrato sendo mandados para casa. Vi pilotos rompendo contratos e indo para outros lugares. Então tudo é possível”, comentou. “É verdade que é um prazer ser considerado por outra fabrica tão grande quanto a Honda, especialmente quando uma vaga de fábrica é oferecida. É isso”, completou.

Em meio a especulações de que foi Oliveira quem buscou a Honda para se oferecer para a posição, o português afirmou: “Não tinha na minha mente uma mudança”.

Chefe da Aprilia, Massimo Rivola afirmou que não há no contrato de Oliveira uma cláusula de saída em caso de oferta de uma equipe de fábrica. Foi esse ponto, por exemplo, que permitiu a saída de Álex Rins da LCR Honda para correr com a Yamaha.

“Bom, é verdade que a Aprilia tem direito a me oferecer uma vaga de fábrica para 25 e 26, mas não para 24”, encerrou Miguel.

MotoGP volta às pistas no próximo dia 15, com o GP da Indonésia, que acontece em Mandalika. O GRANDE PRÊMIO faz a cobertura completa do evento, assim como de Moto3 Moto2.

Divórcio de Marc Márquez e Honda é fim de uma era. Mas também inevitável