Marc Márquez recebe permissão da Honda e prepara teste com Ducati de 2022 em Valência

Marc Márquez já sabe quando terá seu primeiro contato com uma Ducati na MotoGP. Será no dia 28 de novembro, após o fim do campeonato, em teste realizado no Circuito Ricardo Tormo, em Valência

Aguardando as últimas corridas da temporada 2023 da MotoGP para se despedir oficialmente de Marc Márquez, a Honda não pretende atrapalhar o caminho do espanhol e vai permitir que o piloto teste a GP22, moto da Ducati utilizada no ano passado. A experiência está programada para acontecer em 28 de novembro, dois dias depois da última etapa do campeonato, no Circuito Ricardo Tormo, em Valência.

A informação, divulgada pelo portal inglês Motorsport, representa o próximo passo no acordo de rescisão entre Honda e Márquez, que decidiu partir depois de 11 temporadas defendendo a equipe japonesa no nível mais alto do motociclismo mundial. No período, o espanhol conquistou nada menos que sete títulos.

Relacionadas

▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Márquez vai se despedir da Honda ao fim da temporada 2023 (Foto: Gold & Goose/ Red Bull Content Pool)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

A despedida de Márquez abriu caminho para uma investida da Gresini — que corre em motos Ducati —, que ainda não anunciou o piloto oficialmente, mas aguarda apenas até o fim da temporada. Ainda de acordo com o portal, segundo pedido da própria Honda, Marc não pode falar sobre sua nova equipe ou sobre a máquina do ano que vem até o final da temporada atual.

No entanto, a equipe não planeja atrapalhar os planos do espanhol e o concedeu a oportunidade de testar a Ducati de 2022 no fim do ano. Assim, a primeira experiência do heptacampeão mundial a bordo de uma Desmosedici já tem data e local agendados.

Vale destacar que essa liberação não é algo incomum no universo da MotoGP. Jorge Lorenzo, por exemplo, recebeu a permissão da Yamaha na época de sua partida para a própria Ducati.

Por outro lado, Valentino Rossi teve o pedido negado pela Honda em 2003, antes de fazer o movimento para a Yamaha no ano seguinte. Entretanto, o italiano aguardou até o fim da temporada para anunciar que estava de saída.