Marc Márquez lembra contrato e nega pressão à Honda com ameaça de saída: "Pode explodir"

Marc Márquez não escondeu a insatisfação com a falta de competitividade da RC213V, mas reiterou o contrato com a Honda para 2024

Não é de hoje que Marc Márquez mostra sua insatisfação com a Honda. Ainda que o hexacampeão da MotoGP tenha declarado por diversas vezes a confiança na marca da asa dourada, o espanhol de Cervera reiterou que é difícil se manter motivado com a atual situação da equipe.

:seta_para_frente: Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
:seta_para_frente:Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Relacionadas

Isso acontece em meio a rumores de Márquez com a Gresini. O time de Nadia Padovani já conta com o caçula Álex e, segundo apurações do jornal espanhol AS, Marc e Gresini já tiveram algumas conversas, o acordo está próximo de se tornar real e a assinatura da papelada deve acontecer em breve. Carlo Merlini, diretor comercial e de marketing do time italiano, afirmou que seria bom trabalhar com um piloto do calibre de Márquez.

Questionado sobre um possível acordo, o #93 comentou o ano de seu irmão com a equipe italiana e também enfatizou que, hoje, satélites têm totais condições de brigar por vitórias.

Marc Márquez tem contrato até 2024 com a Honda (Foto: Red Bull Content Pool)

“Ele apostou no futuro e está muito bem com a equipe Gresini, que é uma história de família e o meu irmão, embora seja meu irmão, é uma pessoa diferente. Ele procura um ambiente diferente, mas é uma equipe muito profissional, onde Enea Bastianini triunfou no ano passado. Meu irmão está muito bem", disse ele.

"Existem muitas equipes profissionais com um nível técnico muito bom no paddock e está sendo demonstrado que qualquer equipe satélite pode lutar por vitórias todos os finais de semana", seguiu.

Chefe da Honda, Alberto Puig declarou que não tem conhecimento de nenhum tipo de negociação de Marc com a Gresini e confia em sua permanência. O piloto espanhol deu mais indícios de insatisfação, mas lembrou o vínculo com o time japonês.

"Quero ser como um piloto que reaja e, quando as coisas não funcionam numa equipe você tem de mudar, você tem de reagir. Se eu vejo essa reação e esse interesse [da equipe] ou vejo que as coisas não estão sendo feitas como deveriam, bom... vou procurar uma solução quando não tiver contrato. Se você tem um contrato, precisa continuar buscando o melhor para o projeto", admitiu Márquez.

“Se você pretende e tem contrato com uma marca, a pior coisa que você pode fazer, eu acho, é ameaçar sair, porque aí tudo pode explodir. Então acho que a minha mentalidade com a Honda tem de ser uma mentalidade construtiva, buscar o melhor em todos os momentos e acho que agora, pessoalmente, o melhor para o projeto é ficarmos unidos. Veremos como vai ser este fim de semana e como será a segunda-feira. Continuaremos lutando para buscar um nível melhor em 2024", encerrou.