Marc Márquez vê inviável transferência de equipe técnica à Gresini: “Devo me adaptar”

Marc Márquez afirmou que ainda discute com a Gresini a possibilidade de levar um dos atuais mecânicos com ele, mas descartou transferir todos os técnicos liderados por Santi Hernández. O espanhol destacou que não quer prejudicar a Honda e nem tampouco a Gresini

Marc Márquez pode não ir completamente sozinho, mas tampouco contará com a atual equipe técnica completa na estreia com a Gresini. O espanhol assumiu que ainda negocia a possibilidade de levar um dos mecânicos da Honda com ele em 2024, mas admitiu que não será possível manter o grupo unido.

Marc contou que a equipe liderada por Santi Hernández, com quem trabalha desde as classes menores, foi um dos motivos de dúvida, mas os conselhos que recebeu deles ajudaram no processo decisório.

Marc Márquez ainda negocia para levar mecânico a Gresini (Foto: Gold & Goose/ Red Bull Content Pool)

Relacionadas

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

“Ainda estamos discutindo, pois apenas nesta manhã assinamos o MOU [memorando de entendimento, na sigla em inglês]”, disse Márquez. “Na quarta-feira, começamos a falar com a Gresini sobre o contrato, porque antes eu não queria ter nenhuma distração na minha mente. A minha prioridade principal era a Honda, mas uma das grandes razões, ou a grande dúvida, foi a minha equipe. Mas, no fim, tive uma conversa muito profunda com todos eles. No fim das contas, eles são meus amigos. E eles me aconselharam como amigos, não como uma equipe. Foi uma conversa que me ajudou muito a tomar a decisão”, revelou.

“Estou tentando trazer pelo menos um mecânico, acho que não será um problema, mas não posso levar a equipe toda por duas razões: 1) não vou destruir a equipe Repsol Honda, pois nós estamos em outubro. E, 2) não vou destruir a equipe Gresini, pois eles são uma grande família e têm os mecânicos deles”, justificou. “Então eu tenho de me adaptar à situação. Eu tomei a decisão, então tenho de me adaptar”, simplificou.

Questionado se poderá testar a moto da Gresini no tradicional teste de Valência, ao fim da temporada 2023, Marc respondeu: “Ainda não está confirmado, ainda estamos conversando, mas parece, parece que vai ser possível. Mas ainda não está 100% confirmado”.

MotoGP disputa neste fim de semana o GP da Indonésia, que acontece em Mandalika. O GRANDE PRÊMIO faz a cobertura completa do evento, assim como de Moto3 Moto2.

Divórcio de Marc Márquez e Honda é fim de uma era. Mas também inevitável