Marc Márquez vê acerto com quarta cirurgia, mas assume: “Nunca será um braço normal”

Espanhol considerou que, depois de quatro cirurgias, sabe que nunca mais terá um braço normal, mas segue confiante de que tomou a melhor decisão ao se submeter a uma nova intervenção neste ano. O multicampeão defendeu, também, a escolha de fazer isso no meio da temporada, já que não suportaria outro inverno me recuperação

Marc Márquez reconheceu que, depois de quatro cirurgias, nunca mais terá “um braço normal”. Ainda assim, o piloto da Honda defendeu a opção de se submeter a mais uma intervenção em meados da temporada, especialmente porque não poderia suportar mais um inverno em recuperação.

A epopeia de Marc começou na abertura da temporada 2020, quando ele quebrou o braço direito em uma queda no GP da Espanha, em Jerez de la Frontera. Submetido a uma cirurgia, o espanhol tentou acelerar a recuperação para voltar a correr de imediato, mas acabou danificando a placa de titânio colocada no úmero direito, o que forçou uma segunda operação.

Marc Márquez avaliou que a quarta cirurgia foi a decisão certa (Foto: Repsol)

Relacionadas

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

A recuperação, contudo, não saiu como esperado. Como o osso não consolidava, Márquez passou por mais uma operação, onde os médicos fizeram um enxerto ósseo. Ainda assim, a mobilidade ficou limitada e, em meados do ano passado, o #93 foi aos Estados Unidos para uma nova cirurgia, onde os médicos seccionaram e rotacionaram o osso 30° para que o úmero pudesse ficar na posição correta.

Marc perdeu seis corridas, mas voltou às pistas e, pouco a pouco, foi se sentindo melhor fisicamente. No GP do Japão, o espanhol conquistou a pole-position e, na Austrália, o 100º pódio da carreira na MotoGP.

Ainda assim, o filho de Roser e Julià não apagou os momentos difíceis da mente e tampouco perdeu a ciência de que o braço nunca mais será como antes da lesão.

“Claro, muitas vezes você pensa muitas coisas em relação ao braço”, disse Márquez em entrevista à publicação inglesa Autosport. “E muitas vezes, é difícil perceber ou admitir que você tem uma lesão. Mas, no fim, você deve dizer: ‘Ok, é isso que eu tenho’. É verdade que passei por quatro cirurgias, é verdade que tenho um braço que foi aberto quatro vezes, que nunca será um braço normal, pois você tem algumas limitações”, seguiu.

“Mas você precisa aceitar essas limitações, tentar compensar com o corpo, com coisas diferentes”, ponderou. “Não estou pensando muito nisso, só estou pensando mais em como melhorar, como lidar com isso, como me adaptar”, contou.

Ainda, Marc avaliou que a decisão de passar pela quarta cirurgia foi a “correta”, já que não poderia suportar mais um inverno em recuperação.

“Para mim, olhando para esta temporada, a frase é essa: fiz a escolha certa, pois uma opção era terminar a temporada e ver o que acontecia. Mas agora, pensando que poderia ter chegado em Valência, aí operado e passado todo o inverno em recuperação, eu não estava pronto para isso — também do lado mental”, assumiu.

“Então tomei a decisão certa de operar, quebrar meu braço de novo e colocá-lo no lugar”, defendeu. “Para o future, vamos ver se terei força o suficiente, energia o suficiente, possibilidades o suficiente para lutar pelo campeonato”, declarou.

“A vida está melhor, voltando ao normal”, encerrou.

‘QUEM não tem MEDO de MARC MÁRQUEZ é LOUCO?’ Não é bem assim… | GP às 10