Jerez escapa de rodízio e garante GP da Espanha de MotoGP em 2024 e 2025

Diretor-executivo da Dorna Sports, Carmelo Ezpeleta se reuniu com María José García-Pelayo, prefeita de Jerez, e Arturo Bernal, conselheiro de Turismo, Cultura e Esporte, para renovar o contrato que assegura a realização do GP da Espanha no circuito de Jerez de la Frontera nas próximas duas temporadas

Jerez de la Frontera vai seguir no calendário do Mundial de Motovelocidade por, pelo menos, mais dois anos. Diretor-executivo da Dorna Sports, a promotora da MotoGP, Carmelo Ezpeleta se reuniu nesta sexta-feira (28) com María José García-Pelayo, prefeita de Jerez, e com Arturo Bernal, conselheiro de Turismo, Cultura e Esporte, para assinar um contrato para as temporadas 2024 e 2025.

Por conta do excesso de provas, a Espanha agora faz um revezamento dos circuitos. Em 2023, por exemplo, foi o MotorLand de Aragão que ficou de fora da programação. Com o acordo, Jerez assegura que não vai entrar no rodízio nos próximos anos.

Arturo Bernal, Carnelo Ezpeleta e María José García-Pelayo acordaram renovação de Jerez (Foto: Divulgação)

Relacionadas

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

A prefeita García-Pelayo agradeceu o apoio do governo local e da Dorna, assim como a Junta de Andaluzia “por tornar possível que Jerez siga se mantendo como sede de GPs”. Além disso, a mandatária municipal anunciou que a prefeitura “vai preparar um grande acontecimento pelo aniversário de 40 anos do circuito em 2025”.

O conselheiro de Turismo, Cultura e Esporte sublinhou que não dá para pensar em Mundial de Motovelocidade sem Jerez de la Frontera.

“Jerez não podia faltar já que deu tantas alegrias aos pilotos espanhóis e aos fãs que vibram com esse esporte”, comentou Bernal. “É difícil pensar em um Mundial de Motociclismo sem o traçado de Jerez. Desde 1987, ele é cenário de grandes eventos e esse vínculo não deve ser rompido. A vontade do Governo andaluz é que Jerez seja uma sede fixa anual do GP da Espanha”, sublinhou.

“De fato, a Junta de Andaluzia conseguiu assegurar a realização neste traçado do GP da Espanha de 2024 e 2025, apesar da grande concorrência de outros países que pressionam para entrar no calendário do Mundial de MotoGP”, comentou. “A competição é muito grande entre os circuitos, dentro e fora da Espanha. Todos sabem que em nosso país são disputados outros GPs e, a princípio, foi considerado pela organização a rotação das sedes, mas conseguimos que Jerez não entre neste rodízio por causa de seu status dentro do motociclismo mundial”, completou.

MotoGP está de férias e volta à ativa apenas entre os dias 4 e 6 de agosto para o GP da Grã-Bretanha, em Silverstone. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2023.

Em crise, Honda pode perder Rins para Yamaha já em 2024