Bautista testa Ducati e cita “diferença muito impressionante com a Superbike”

Álvaro Bautista ganhou de presente da Ducati um teste com a Desmosedici pelo título de 2022 do Mundial de Superbike. Espanhol celebrou a rápida adaptação, mas ressaltou que o protótipo italiano é muito diferente da Panigale

Álvaro Bautista afirmou que é “muito impressionante” a diferença entre as Ducati da MotoGP e do Mundial de Superbike. O espanhol está testando a Desmosedici em Misano nesta semana como prêmio pelo título o ano passado na série das motos de produção.

Desde 2019, Bautista corre no WSBK. No ano passado, o #19 encerrou uma seca e deu à Ducati o primeiro título do Mundial de Superbike desde a conquista de 2011, com Carlos Checa.

Álvaro Bautista ganhou a chance de testar a Desmosedici (Foto: Ducati)

Relacionadas

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Álvaro pediu um prêmio: a chance de voltar a guiar a MotoGP pela primeira vez desde 2018. E a Ducati atendeu, levando-o para a pista adriática para uma bateria de dois dias de testes junto com Michele Pirro, o piloto de testes da marca de Borgo Panigale.

“Estou muito feliz em pilotar esta moto outra vez”, comemorou Bautista. “É muito impressionante a diferença entre a Superbike e a MotoGP”, pontuou.

“Basicamente, em todas as áreas: da aceleração a freada, da potência até a eletrônica, o câmbio. A diferença é incrível”, sublinhou. “Mas eu estou feliz, pois a sensação desde a primeira volta foi realmente boa e entendi a moto muito bem. A adaptação a esta moto está indo muito bem, talvez melhor do que o esperado. A minha última vez [com uma MotoGP] foi em 2018 e agora as motos são muito diferentes”, frisou.

“Não tenho uma memória fresca da última vez e a moto agora é completamente diferente, especialmente do lado aerodinâmico”, comentou. “Depois de muitos anos no Mundial de Superbike, senti ainda mais diferente, pois a moto é mais rígida os pneus são mais rígidos e tudo é diferente. Sinceramente, eu esperava que fosse pior em termos de adaptação, mas, desde as primeiras voltas, me senti bem na moto. Posso dizer que está sendo muito positivo”, resumiu.

Álvaro Bautista não vai tentar fazer volta rápida em Misano (Foto: Ducati)

Bautista, que segue testando a Desmosedici nesta quarta-feira, porém, não deve fazer volta rápida ao longo da atividade.

“Hoje, Michele Pirro tem de testar algo para a Ducati e, se tivermos algum tempo no fim do dia, vou fazer mais algumas voltas. Do lado da aerodinâmica, acho que podemos melhorar a minha posição na moto. Por enquanto, por causa do meu tamanho, a moto é um pouco grande no assento e no tanque de combustível”, disse Álvaro. “Temos alguns itens que, se tivermos tempo, vamos testar no fim do dia. Vamos focar na posição aerodinâmica da moto. Só isso”, acrescentou.

“Nossa meta não é fazer tempo de volta. Nossa meta é nos divertirmos e entender essas novas motos da MotoGP”, declarou. “Não teremos tempo de ataque e não faz sentido correr nenhum risco. Este é o prêmio pelo campeonato da temporada passada. Para mim, a meta é Donington, que é o nosso alvo principal”, encerrou.

MotoGP volta às pistas já no próximo final de semana, de 23 a 25 de junho em Assen, para a disputa do GP da Holanda. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial e Motovelocidade 2023.

Por que Marc Márquez cai tanto na MotoGP?