Power comanda atropelo da Penske e crava pole nas duas corridas da Indy em Iowa

Após atraso pela chuva, Penske obliterou concorrência na classificação do GP de Iowa, com direito a trinca na corrida 1. Will Power saiu com as poles em Newton

Will Power comandou o desempenho assustador da Penske e vai largar na pole-position das duas corridas da Indy no Iowa, repetindo o que fez em 2022. O atual campeão cravou 17s739 e 17s724 na classificação disputada no início da tarde deste sábado (22) e vai comandar o pelotão pela primeira vez na temporada.

A largada da corrida 1 está marcada para às 16h30 (de Brasília, GMT-3) deste sábado, enquanto a corrida 2 tem início às 15h30 do domingo. Todas com cobertura completa do GRANDE PRÊMIO.

Relacionadas

Saiba como foi a classificação da rodada dupla do Iowa:

Após a longa pausa pela chuva, a classificação começou às 12h20 (de Brasília, GMT-3) com Ed Carpenter na pista. A volta 1 ficou em 18s223, enquanto a volta 2 foi de 18s059. Sting Ray Robb, de Dale Coyne, foi quem veio em sequência, marcando 18s772 na volta 1 e 18s437 na volta 2, bem atrás de Ed.

Na vez de Jack Harvey, da RLL, o inglês fez 18s209 na 1 e 18s303 na 2, superando o tempo de Carpenter para a prova deste sábado. Na sequência, veio Conor Daly, de Meyer Shank, com 18s324 e 18s191. Devlin DeFrancesco, de Andretti, surpreendeu com 18s128 e 18s228, pulando para o topo na tabela da corrida 1.

Agustin Canapino, de Juncos, foi quem veio em sequência, e com 18s386 e 18s331, ficou à frente apenas de Ray Robb. Vencedor em 2017, Helio Castroneves, de Meyer Shank, cravou 18s167 e 18s109, ficando no segundo lugar provisório das duas corridas. Ryan Hunter-Reay, com a Carpenter, marcou 18s206 e 18s402.

David Malukas, com a Dale Coyne, assumiu a liderança das duas tabelas ao cravar 18s080 e 18s019. Santino Ferrucci, de Foyt, decepcionou com 18s436 e 18s670, ficando bastante para trás na tabela. Callum Ilott, de Juncos, chamou atenção por cravar o mesmo tempo nas duas voltas: 18s333.

Última Carpenter na pista, Rinus VeeKay cravou 18s182 e 18s190, se colocando em quarto nas duas tabelas. Graham Rahal, com a RLL, marcou 18s165 e 18s085, pulando para terceiro nas duas provas. Quem surgiu na sequência foi Romain Grosjean, de Andretti, que surpreendeu com 18s078 na primeira volta, pulando para a ponta. Na segunda, conseguiu apenas o oitavo tempo.

Felix Rosenqvist foi a primeira McLaren na pista, mas não impressionou com 18s310 e 18s199. Kyle Kirkwood, de Andretti, fez 18s213 nas duas voltas, ficando apenas com um lugar provisório no top-10 das duas corridas. Primeira Ganassi na pista, Takuma Sato cravou 18s099 e 18s183, pulando para o terceiro lugar na corrida 1.

Alexander Rossi, de McLaren, foi bastante abaixo do esperado com 18s300 e 18s217, suficiente apenas para um lugar provisório no top-10. Última Andretti na disputa, Colton Herta cravou 18s053 e 18s078, pulando para o topo das corrida 1 e o terceiro na corrida 2. Will Power, de Penske, teve um desempenho espetacular com 17s739 e 17s724, pulando para a pole das duas corridas.

Vencedor em Toronto, Christian Lundgaard marcou 18s245 para a corrida 1 e 18s253 para a corrida 2, sequer ficando no top-10 das corridas. A vez seguinte foi de Scott McLaughlin, da Penske, que com 17s846 e 17s916, pulou para a primeira fila nas duas tabelas. Vencedor da corrida 2 no ano passado, Pato O'Ward foi a última McLaren na disputa, mas com 18s041 e 18s160, ficando apenas em terceiro na corrida 1 e em oitavo na 2.

Marcus Ericsson, de Ganassi, fez 18s088 e 18s113, ficando em sétimo e oitavo. Na vez de Josef Newgarden, ele cravou 17s872 e 18s094, sem superar os companheiros de equipe, com terceiro e sétimo.

As tentativas finais foram de Scott Dixon e Álex Palou. O neozelandês hexacampeão fez 18s009 e 18s112, sem quebrar a hegemonia da Penske, enquanto o líder do campeonato fez 18s060 e 18s169, sem tirar Power do topo.