Newgarden sabuga rivais em Iowa e só ovais podem apimentar campeonato

Josef Newgarden domina os ovais na Indy, e só eles podem ameaçar o reinado de Álex Palou na temporada 2023. Americano tenta animar disputa com 6 corridas restantes

Poucas vezes a Indy teve um final de corrida tão previsível nos últimos anos. É óbvio que Josef Newgarden é o franco favorito em qualquer corrida de oval nos últimos tempos. Em Iowa, não foi diferente. É claro que demorou 121 voltas para o piloto assumir a liderança da corrida em cima de Will Power, mas depois que ultrapassou, não foi mais ameaçado e venceu mais uma.

São 3 vitórias em 3 ovais disputados até aqui. No ano passado, foram 3 triunfos nos 5 ovais da temporada. É muito difícil parar Josef em ovais. E quanto menor, melhor. Em um sábado onde o ritmo da Penske era impressionante desde o início do dia, era óbvio que quem tiraria mais desse carro é o piloto que melhor se adapta nestas situações. No caso, Newgarden.

Relacionadas

O que explica este domínio? Difícil entender. Ele não é invencível, mas a impressão de Newgarden é que ele é "o último grande americano da Indy". Em uma categoria de grid cada vez mais internacional e com menos ovais, será difícil ver pilotos com a crescente de Josef, batalhando por Indy Lights até chegar a Penske. Um piloto que, mesmo de passagem pela Europa, nasceu moldado para competir na Indy.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch 
clicando aqui!

Josef Newgarden (Foto: IndyCar)

É como se ele fosse um piloto em extinção. Lembram de Michael Andretti, Bobby Rahal, Scott Goodyear e etc? Newgarden provavelmente é o último americano deste tipo.

“O começo não foi da maneira como nós queríamos, fiquei muito decepcionado. Sofri com os primeiros compostos de pneus”, revelou. “É legal, mas, às vezes, é um pouco frustrante [sobre os retardatários]. O tráfego foi piorando, algo que não tinha visto em outras provas aqui”, comentou o piloto sobre os retardários em Iowa.

E só os ovais mesmo que podem ameaçar o bicampeonato de Álex Palou. O espanhol, inclusive, não foi mal. Em um dia onde a Ganassi tinha um desempenho piorado em comparação com a rival, Álex não foi protagonista em nenhum momento e até tomou volta. Porém, mesmo assim, ainda terminou em um forte oitavo lugar. Resultado excelente para que busca apenas administrar a vantagem.

Amanhã, é mais uma etapa em oval. O trabalho de Newgarden é mais difícil, já que sai de sétimo na busca pela sexta vitória em Iowa, mas o diagnóstico segue o mesmo: aqui e em Gateway, daqui algumas semanas, são as últimas chances de movimentar este campeonato cada vez mais encaminhado nas mãos de Palou.