Red Bull se preocupa com futuro e culpa teto de gastos por 'debandada' de funcionários

Chefe da Red Bull, Christian Horner se preocupa em ter o limite orçamentário como uma "corrida para o fundo do grid" e vê impasses para manter funcionários experientes

Quanto menor o teto orçamentário, menor a chance da Red Bull ter pessoal experiente para seguir na equipe. É o que Christian Horner apontou, quando questionado se o limite de gastos acaba sendo um impasse para os os times 'segurarem' seus funcionários de alto escalão. E ele deu o exemplo de Rob Marshall, que fechou recentemente com a McLaren para o cargo de diretor-técnico.

“Você não pode segurar ninguém dentro da equipe. E acho que todo mundo tem de garantir seu lugar dentro do teto. Rob estava tão focado em outros projetos nos últimos anos, a oferta que a McLaren fez provavelmente é metade do limite de custos! Então você não pode culpá-lo por querer fazer isso", disse o chefe dos taurinos.

Relacionadas

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Christian Horner vê impasses com o teto de gastos (Foto: Red Bull Content Pool)

“Você tem de ter certeza de que não é uma corrida para o fundo do grid. O problema é que você tem funcionários de longa data que contribuíram com uma quantia significativa e você não quer demiti-los por causa do limite só porque você pode contratar 10 jovens ao invés de uma mão de obra experiente. Esse é o debate constante que você tem", continuou.

Vale lembra que, em outubro do ano passado, a FIA anunciou um acordo com a equipe dos energéticos por conta de uma violação ao teto durante a temporada 2021 da F1. A escuderia austríaca ultrapassou o limite de custos de US$ 145 milhões (cerca de R$ 775 milhões) em uma margem inferior a 5% e, por isso, foi multada em US$ 7 milhões (em torno de R$ 37 milhões), além de receber uma limitação com relação ao desenvolvimento do carro deste ano, perdendo 10% do tempo de uso do túnel de vento.

Fórmula 1 passa por uma pequena pausa e volta no próximo fim de semana, com o GP do Canadá programado para acontecer entre os dias 16 e 18 de junho — com cobertura completa do GRANDE PRÊMIO.