VR46 aproveita boa fase e escolhe Di Giannantonio para vaga de Marini em 2024

Com a Speed Up cobrando alto para liberar Fermín Aldeguer do contrato para 2024, a VR46 se viu forçada a olhar para outra direção. E a vitória no GP do Catar foi suficiente para Fabio Di Giannantonio assegurar a permanência na MotoGP com a equipe de Valentino Rossi

Fabio Di Giannantonio foi confirmado pela VR46 (Vídeo: VR46)

Fabio Di Giannantonio conseguiu! Depois de perder a vaga na Gresini para Marc Márquez, o italiano contou com a vitória no GP do Catar para seduzir a VR46 e ser escolhido como substituto de Luca Marini em 2024. O #10 vai para a Honda, justamente para assumir o posto do seis vezes campeão da MotoGP.

Di Giannantonio parecia condenado a ficar fora do grid, já que não era considerado uma opção para a equipe de Valentino Rossi. Ainda em Lusail, Alessio Salucci, o diretor do time, tinha descartado o italiano, já que enxerga a equipe como um trampolim para jovens talentos. No entanto, os planos de Uccio não saíram como previsto.

Relacionadas

O alvo principal era Fermín Aldeguer, que vive uma fase excelente na Moto2, mas a Speed Up jogou duro e evitou o salto para a classe rainha. O adolescente espanhol já tinha assinado para seguir com a equipe de Luca Boscoscuro, que cobrou alto para manter o piloto. Além disso, a cláusula de saída em caso de oferta da MotoGP já tinha expirado, o que inviabilizou a transação.

Aldeguer, porém, não deve ficar fora da MotoGP por muito tempo. O piloto de 18 anos é cotado para a Pramac a partir de 2025.

LEIA MAIS
📌 Bagnaia quebra ‘maldição’ e renova título estampando #1 pela primeira vez em 25 anos
📌 Bagnaia mostra poder de reação para fugir do inferno e garantir bicampeonato da MotoGP
📌 Ducati ratifica fase brilhante e faz com Bagnaia o que faltou com Stoner: bi da MotoGP
📌 Bagnaia entra para lista de bicampeões da MotoGP com taça em Valência. Veja ranking

Fabio Di Giannantonio vai defender a VR46 em 2024 (Foto: Divulgação/MotoGP)

Com a situação complexa envolvendo Fermín, Di Giannantonio furou a fila pelo lugar de Marini na VR46. Ainda na quinta-feira, a emissora italiana Sky Sports noticiou que Diego Tavano, agente do piloto, tinha saído bastante animado de uma reunião com a equipe de Tavullia.

Nesta segunda-feira (27), às vésperas do teste da MotoGP com a configuração de 2024 em Valência, a equipe de Valentino Rossi anunciou o acerto com Di Giannantonio.

“Estou realmente feliz em anunciar que Fabio vai se juntar à nossa equipe”, disse Salucci. “Foi uma chegada inesperada, no último minuto, mas estou satisfeito por termos o escolhido”, seguiu.

“Ele teve um ótimo fim de temporada, não se perdeu quando as coisas não iam bem e tenho certeza que ele vai se sentir em casa aqui”, comentou. “No nível do esporte a motor, ele provou estar entre os mais rápidos jovens italianos, vai seguir trabalhando com a Ducati e o objetivo é não só ajudá-lo a ser não só competitivo, mas também consistente nos resultados. É um projeto ambicioso, marca um ponto de virada na história do nosso time, mas tenho certeza de que daremos nosso melhor para seguirmos na mesma direção”, encerrou.

Aposta de Fausto Gresini, Fabio subiu para a classe rainha em 2022, sem estar devidamente credenciado para a posição, já que não tinha tido muito destaque nas classes menores. O melhor resultado do italiano de Roma foi o vice-campeonato da Moto3 em 2018, mas, na Moto2, não passou da 7ª colocação no Mundial de Pilotos, justamente correndo com a Gresini.

Ainda assim, Fausto apostou no pupilo, que começou muito discretamente na divisão de elite. No primeiro ano, foi apenas 20º, ainda que tenha brilhado com uma pole em casa. Neste ano, especialmente depois de perder a vaga para Márquez, Diggia cresceu e passou a brigar por pódios.

A surpreendente vitória no GP do Catar, porém, foi o passo que faltava e rendeu até mesmo o apoio explicito da Ducati. Diretor-esportivo da casa de Noale, Paolo Ciabatti afirmou publicamente que o italiano de 25 anos merecia um lugar no grid, já que era um dos melhores pilotos do momento na MotoGP.

O time de Rossi, então, aproveitou a situação e acertou com Di Giannantonio para poder liberar Marini, que também já tinha renovado com a VR46 para 2024.

“Estou feliz por me juntar a uma equipe tão forte quanto a VR46”, celebrou Di Giannantonio. “Posso aprender muito e mal posso esperar para começar a trabalharmos juntos neste projeto. Podemos fazer coisas realmente boas”, comentou.

“Nas últimas duas temporadas na MotoGP, eu cresci muito e, com esta equipe, certamente poderia amadurecer ainda mais e conquistar ótimos resultados”, apostou. “Estou empolgado. Mal posso esperar para conhecer toda minha nova equipe e começar a trabalhar na pista. Obrigado a todos que tornaram isso possível”, encerrou.

MotoGP volta às pistas já na terça-feira (28) para o teste pós-temporada de Valência. O GRANDE PRÊMIO faz a cobertura completa do evento e do Mundial de Motovelocidade.