Tráfego aéreo em zona de conflito atrasa chegada de integrantes da Honda na Índia

Três integrantes da Honda ainda não conseguiram chegar à Índia, pois tiveram de trocar de avião por causa do tráfego aéreo em zona de conflito. Informação foi revelada pelo site espanhol Motorsport e confirmada pelo GRANDE PRÊMIO

O GP da Índia não começou fácil para a Honda. Depois de enfrentar problemas com a emissão de vistos, a montadora japonesa segue desfalcada de três integrantes, mas por causa de um problema diferente: tráfego aéreo em zona de conflito. A informação foi revelada pelo site espanhol Motorsport e confirmada pelo GRANDE PRÊMIO.

A Honda foi uma das equipes mais afetadas pelo problema na emissão de vistos. Até segunda-feira (18), apenas três dos 50 integrantes da equipe tinham a documentação necessária para entrar na Índia. O problema foi resolvido dois dias depois, mas nem todo mundo chegou a Buddh.

MotoGP-2023-Austria-Red-Bull-Ring-Sexta-Honda-Marc-Marquez-1024x771.jpeg" alt="" class="wp-image-718547" />
Nem todos os integrantes da Honda conseguiram chegar a Índia (Foto: Honda)

Relacionadas

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Três integrantes da Honda tiveram de trocar de avião, pois a rota até o território indiano cruzava uma área de conflito entre o Azerbaijão e a Armênia.

“Eles tiveram um atraso e mudaram de voo por causa de tráfego aéreo em zona de conflito”, disse um porta-voz da Honda ao GRANDE PRÊMIO.

A publicação espanhola detalhou que um dos membros da equipe trabalha na coordenação de toda a estrutura da Honda. Os outros dois são técnicos, um de Marc Márquez e outro de Joan Mir.

Na terça-feira, o Azerbaijão iniciou uma operação contra Nagorno-Karabakh, região localizada na fronteira com a Armênia, sob a alegação de ser uma atuação militar “contra terrorismo” — especialistas, no entanto, apontam para uma limpeza étnica. O país, que está no cruzamento entre o Leste Europeu e o Sudoeste Asiático, diz que não vai interromper a operação até a rendição da etnia Karabakh.

Na quarta-feira, os dois países anunciaram um cessar-fogo, mas o Azerbaijão reivindicou o controle total da região separatista, que se autodenomina República de Artsakh. Nagorno-Karabakh se separou do Azerbaijão com apoio da Armênia em 1994, em uma guerra que deixou mais de 30 mil mortos.

O primeiro treino da MotoGP para o GP da Índia, em Buddh, está marcado para 2h45 (de Brasília), de sexta-feira. O GRANDE PRÊMIO faz a cobertura completa do evento, assim como das classes menores Moto2 e Moto3.

Morbidelli cai para cima com acerto com Pramac para temporada 2024 da MotoGP