“Honda precisa de solução urgente para parar de machucar pilotos”, analisa Juliana Tesser

Apesar de não ser a construtora responsável pelo maior número de tombos da temporada 2023 da MotoGP, a Honda tem a média mais elevada, com cinco acidentes para cada piloto que subiu na RC213V ao longo do ano. Não à toa, Marc Márquez, Álex Rins e Joan Mir já sofreram fraturas até aqui

A Honda transformou a RC213V em uma máquina de moer pilotos na MotoGP. Passadas apenas seis corridas das 20 previstas para este ano, Takaaki Nakagami é o único dos titulares que segue inteiro, já que Marc Márquez, Joan Mir e Álex Rins já sofreram fraturas.

No GP às 10, Juliana Tesser traz os números e constata que, apesar de a Ducati ter somado mais tombos ao longo do ano, a Honda tem a maior média de quedas por piloto da temporada 2023.

Relacionadas

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

MotoGP volta neste fim de semana com o GP da Alemanha, em Sachseniring. GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2023.