F1 se conforma com 10 equipes. Por quê? + Prévia da MotoGP na Alemanha | WGP

A FIA abriu processo para novas inscrições, mas isso permanece incerto. Será mesmo que a Fórmula 1 é realmente parelha? Esse é o tema central do WGP, o programa do GRANDE PRÊMIO feito apenas pelas jornalistas da casa

O chefão Stefano Domenicali acredita que a Fórmula 1 tenha chegado num ponto extremamente lucrativo, deixando o esporte mais saudável para equipes pequenas e grandes. Para o italiano, quanto mais competitivo o grid, maior o investimento — e, por isso, a resistência para expandir a categoria não faz tanto sentido.

“Há dois anos, quando o novo Pacto da Concórdia foi assinado, quando se falava qual era o valor de uma equipe entrar na Fórmula 1, estimava-se US$ 200 milhões, o que parece inalcançável”, disse ele. “No passado, existiam vendas de equipe por £ 1. Agora, o mercado está oferecendo quase bilhões para as equipes e eles estão recusando isso”, seguiu.

Relacionadas

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

O grid atual é suficiente, na opinião de Stefano Domenicali (Foto: Red Bull Content Pool)

“Quanto mais competição você tiver, mais corridas interessantes você terá e mais poderá criar interesse no esporte. Mas é claro que há situações em que o interesse pelas equipes de Fórmula 1 é maior porque elas estão investindo e acreditam que esta é a plataforma para desenvolver outras coisas”, continuou.

A FIA abriu processo para novas inscrições, mas isso também permanece incerto. E será mesmo que o campeonato é realmente parelho? Esse é o tema central do WGP, o programa do GRANDE PRÊMIO feito apenas pelas jornalistas da casa.

Evelyn Guimarães apresenta, com comentários de Luana Marino e Juliana Tesser. Na produção, Pedro Prado. Confira!