Häkkinen assume carreira de Maini e ressalta que objetivo é chegar à Fórmula 1

Da mesma forma como fez com Valtteri Bottas, o bicampeão de Fórmula 1 Mika Häkkinen pretende ajudar Kush Maini a alcançar o último degrau na escada dos monopostos com o apoio corporativo indiano

A carreira de Kush Maini, piloto que defende a Campos na Fórmula 2, agora estará sob gestão de Mika Häkkinen. Da mesma forma como fez com Valtteri Bottas, o bicampeão de Fórmula 1 pretende ajudar Maini a alcançar o último degrau na escada dos monopostos com o apoio corporativo indiano.

É um trabalho de mentoria semelhante ao que faz Mark Webber com Oscar Piastri no grid atual. Além do suporte proveniente da experiência de Mika, Maini ainda terá um importante ganho em termos comerciais, ligando-se a novos patrocinadores.

Relacionadas

Em 11º na classificação da temporada 2023 da F2, Maini — que é um dos integrantes do grid — tem como melhor resultado um pódio na Austrália, quando cruzou a linha de chegada na corrida sprint em terceiro. Com a gestão de Häkkinen, porém, o indiano acredita que pode brigar na parte de cima da tabela no ano que vem.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Bicampeão desempenhará com Maini trabalho que ajudou a levar Valtteri Bottas à F1 (Foto: reprodução)

"A partir do próximo ano, minha abordagem e da minha equipe serão muito mas estruturadas graças ao Mika. Ter alguém que cuida da sua nutrição na pista, um coach mental que cuida de tudo relacionado ao que enfrenta em um fim de semana de corrida. Basicamente, a maneira como Mika trabalha é resumir tudo a ponto de o piloto ter só um trabalho", avaliou Maini, ressaltando que "só dele acreditar que posso chegar à F1 mostra que fizemos algo certo nesses últimos 15 anos".

"É uma arma enorme em seu arsenal ter Mika Häkkinen por trás de você!", acrescentou.

O ex-piloto de 55 anos destacou ainda a experiência de trabalho com Bottas e o progresso adquirido pelo compatriota. "Tenho acompanhado Kush, entendendo suas habilidades, seu talento para pilotar. É uma jornada muito interessante para desenvolvermos juntos e ele se tornar um piloto ainda mais profissional. A F1 é o nosso objetivo, sem esquecer a situação atual [na F2]", frisou, deixando claro que seu papel não será ensinar técnicas de pilotagem, e sim alavancar "as ferramentas de comunicação e rede que possuo".

"Esses recursos são muito poderosos quando se cuida de um jovem piloto talentoso. Sou embaixador da Fórmula 1 e faço parte dela desde 1991. O poder que tenho para levar este jovem piloto aos lugares certos, na hora certa, é uma vantagem", completou, emendando que tem interesse em "levar um jovem piloto da Índia para a F1" e, com isso, atrair o interesse de megaempresas do país para a classe.

"A Índia será muito poderosa. E quero que todos os indianos conheçam Kush Maini, quero que todos na Índia torçam por ele. Quero que sintam que ele será um vencedor na Fórmula 1. Claro que requer muito trabalho e sacrifícios. Pela minha experiência no automobilismo, entendo que o momento certo, estar na equipe certa, ter os parceiros certos e trabalhar com as pessoas certas é crucial", afirmou Mika.

A Fórmula 2 retorna só em Abu Dhabi, entre os dias 24 e 26 de novembro, para a disputa da última rodada da temporada 2023.