Bottas some após GP do Canadá de 2022 e vai completar 1 ano de pasmaceira total

São 17 corridas fora da zona dos pontos nas últimas 20 disputadas e a sensação, cada vez mais forte, de que Valtteri Bottas hoje só faz número na F1. Nem comandando a Alfa Romeo o finlandês está mais, agrega pouquíssimo

A Alfa Romeo é uma das equipes que menos chamam a atenção na F1 atual por diversos motivos, e um deles é Valtteri Bottas. Trata-se de um time que vai perder a marca em 2024, que espera a Audi para 2026, que tem pilotos desempenhando abaixo, enfim, uma equipe sem perspectiva. E nisso Bottas tem combinado bem com os ítalo-suíços.

É que o finlandês simplesmente não parece mais viver o auge, nem de perto. Para sermos bem sinceros, tem vezes que a gente nem lembra que Bottas está correndo, né? Tudo bem, de novo, a gente esquece da Alfa Romeo bastante também.

Relacionadas

O problema é que Bottas não foi contratado para sumir junto com a equipe, pelo contrário. Valtteri foi um investimento grande, um cara que deveria elevar o nível, puxar protagonismo. Isso até aconteceu no começo de 2022, mas faz tempo que acabou.

Valtteri Bottas sofre em 2023 e sofreu na metade final de 2022 (Foto: Alfa Romeo)

Uma estatística inacreditável é que, depois do GP do Canadá de 2022, Bottas e Guanyu Zhou foram ao top-10 a mesma quantidade de vezes até hoje. Mais absurdo ainda é que isso só aconteceu míseras três vezes. Sim, Bottas tem 17 corridas longe dos pontos nas últimas 20 disputadas. Insustentável pelo salário que tem, a expectativa que gera, a missão que recebeu do time.

O contrato de Valtteri é um daqueles estranhos da F1, de 'acordo plurianual'. No entanto, entende-se que o vínculo seja até 2025, ou seja, último ano antes da chegada da Audi. Só que muita coisa aconteceu desde então, né? Audi, saída da Alfa Romeo, então, assim, não é de se ignorar a chance de mudança ali no cockpit, não.

Como os dois próximos anos de Sauber são nebulosos e a Audi parece enrolada até para fazer o que precisa para 2026, é bem possível que os suíços preencham os próximos anos com alguém que tenha dinheiro - Zhou tem, bastante - e mais alguém. E aí, será que não vale a pena dar cancha para um talento feito em casa, como é Théo Pourchaire? Bottas poderia sobrar nessa.

Guanyu Zhou já incomoda Valtteri Bottas em resultados. Não poderia, né? (Foto: Alfa Romeo)

Mas, tudo bem, trabalhemos com a ideia de que Valtteri realmente fique no time até a transição para a Audi. Então vai precisar melhorar muito. É que mais que a falta de resultados - que é gritante, sim -, chama a atenção como Bottas parece desinteressado, apático. É uma pasmaceira completa há praticamente 1 ano. Muito tempo sem fazer quase nada.

Bottas não parece mais ser o cara certo para a Alfa Romeo/Sauber, mas menos ainda para a Audi, que já falou que quer alguém experiente no início de tudo. A melhor versão de Valtteri, especialmente dos tempos de Williams e em classificações na Mercedes, ficou para trás.

“As viagens te consomem muito. Ainda estou mais do que feliz por fazer isso por um longo tempo. Mas, admito, quando estiver com 39 anos, não sei se vou até os 40 na pista. É difícil me comprometer neste momento, mas ainda tenho muitos anos, com certeza”, assegurou Valtteri ao ser questionado sobre a chance de parar em breve. Ele tem 33 anos, aliás.

O que acontece com Bottas? O finlandês precisa responder urgentemente porque, se seguir assim, recebendo ordem no rádio para segurar rivais de Zhou na pista - sim, isso aconteceu na Espanha -, não faz sentido continuar na F1. Não é nem digno com o piloto que Valtteri já foi um dia.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!