Red Bull põe panos quentes e diz que "quer respeitar" contrato de Pérez para 2024

Depois de muitas críticas, Helmut Marko tratou de colocar panos quentes na situação de Sergio Pérez ao dizer que que respeitar o contrato do mexicano para 2024

A pressão em cima de Sergio Pérez está cada vez maior. Helmut Marko, consultor da Red Bull, chegou até a dizer que o mexicano precisa "mudar de equipe", tendo em vista os resultados decepcionantes com os taurinos. No entanto, o próprio austríaco fez questão de colocar panos em quentes na situação, sobretudo depois de sua 'acalorada' declaração.

“Posso estar me repetindo, mas Pérez tem um contrato que queremos respeitar”, disse em entrevista ao canal Sport1. "Estamos fazendo de tudo para colocá-lo de volta nos trilhos. Não temos alternativas. Caso contrário, ele pode ter um problema", seguiu.

Relacionadas

:seta_para_frente: Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
:seta_para_frente:Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Sergio Pérez foi bastante criticado pela Red Bull após o GP do Catar (Foto: Red Bull Content Pool)

Marko também reiterou que dificilmente há um piloto no grid atual que esteja no mesmo nível de Max Verstappen. Ele já apontou por diversas vezes a vontade de ter Lando Norris na equipe, mas apontou que, talvez, o mais próximo de ameaçar o tricampeão hoje é, na verdade, um medalhão...

“No momento só vejo alguém que poderia chegar perto de acompanhar Max: Fernando Alonso”, concluiu ele.

Contudo, é o dono do carro #11 quem tem até agora contrato para 2024. Só que Marko já deixou claro que depende de Pérez ter essa garantia.

“‘Checo’ precisa entregar agora. Queremos manter o contrato, que vai até 2024, e está inteiramente nas mãos dele. Temos três pilotos na AlphaTauri, e Lawson serve como reserva para os dois carros. Então, muitas coisas podem acontecer”, reconheceu. Ainda segundo ele, “mais cedo ou mais tarde, Liam estará consistentemente na F1”.

Fórmula 1 volta daqui a duas semanas, entre os dias 20 e 22 de outubro, em Austin, com o GP dos Estados Unidos, o primeiro da última perna tripla da temporada. E o GRANDE PRÊMIO acompanha tudo.