Principais curvas da Fórmula 1 foram 30 km/h mais rápidas em 2017

Os dados divulgados pela Pirelli após o Grande Prémio de Singapura revelaram um aumento no desempenho dos monolugares em algumas das mais rápidas e emblemáticas curvas do calendário, como Pouhon em Spa-Francorchamps e a terceira curva em Barcelona.

Copse, em Silverstone, continua a ser a curva mais rápida na Fórmula 1, com as maiores velocidades registadas este ano a serem de 290km/h, o que é exatamente mais 30km/h face a 2016.

Relacionadas

Houve aumentos similares no traçado de Barcelona - mais 36 km/h na curva três e mais 30 km/h na nove. Em Spa-Francorchamps, Pouhon foi realizada a mais 36 km/h.

Comparação da velocidade em curva

Ganhos em qualificação

O objetivo dos regulamentos que fizeram com que os carros fossem mais largos e rápidos era o de permitir que os tempos no circuito de Barcelona baixassem cerca de cinco segundos face a 2015.

Esse objetivo foi atingido e há circuitos onde os pilotos demoram menos quatro segundos a percorrer uma volta do que no ano passado.

O maior ganho face ao ano passado foi no Grande Prémio da Bélgica, onde a pole position de Lewis Hamilton foi 4,191s mais rápida do que a de Nico Rosberg em 2016.

No entanto, se a comparação for feita por quilómetro, o Hungaroring foi o traçado onde os monolugares deste ano mais se destacaram, com uma melhoria de 0,831s por quilómetro face a 2016.

Excluindo Monza, que foi um Grande Prémio condicionado pela chuva, o menor ganho da temporada foi no Bahrain, onde o downforce dos monolugares e as diferentes condições climatéricas e de aderência limitaram o potencial dos novos regulamentos. Ainda assim, Valtteri Bottas tirou mais de sete décimos ao tempo da pole position do ano passado.

Comparação das voltas mais rápidas em qualificação

Corridas mais rápidas

No que diz respeito às voltas mais rápidas de cada corrida, houve melhorias ainda mais notórias.

No Grande Prémio da Bélgica, Lewis Hamilton tirou uns impressionantes cinco segundos à volta mais rápida da corrida de 2016.

No Mónaco, Perez rodou quase um segundo por quilómetro mais rápido do que Hamilton no ano passado.

Comparação das voltas mais rápidas



Os recordes deverão continuar a ser batidos até ao final da temporada e o Grande Prémio do Japão da próxima semana poderá ser um dos melhores exemplos daquilo que os monolugares de 2017 são capazes, já que o traçado rápido traçado de Suzuka se deve adaptar na perfeição aos novos regulamentos da Fórmula 1.