Hülkenberg lamenta problemas de ritmo da Haas e pede "solução de longo prazo"

Nico Hülkenbeg lamentou a falta de ritmo de corrida da Haas no GP do Canadá e crê que o time precisa elaborar projeto de longo prazo para evolução

Nico Hülkenberg viveu uma montanha-russa de resultados no Canadá. Após se classificar na primeira fila com o segundo melhor tempo, se beneficiando de chuva e bandeira vermelha, o piloto da Haas perdeu três posições no grid por acelerar demais durante o período de interrupção. Na corrida, perdeu muito ritmo e finalizou apenas no 15º lugar.

Ainda no começo do GP do Canadá, George Russell bateu no muro e causou a entrada de um safety-car, que mexeu com as estratégias da corrida. Para Nico, a bandeira amarela acabou jogando contra a Haas, que ficou sem tantas armas para se defender na corrida.

Relacionadas

"Não ajudou, isso é certeza. Perdemos um monte de posições, o timing não foi tão bom. Muito diferente do sábado com a bandeira vermelha. Mas depois disso, tivemos dificuldades com ritmo e depois o desgaste dos pneus", declarou ao site americano Motorsport.com.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Nico Hülkenberg (Foto: Haas F1 Team)

Perguntado se aproveita os momentos em que consegue competir mais à frente, Hülkenberg afirmou que não, e citou que a Haas precisa de um projeto de longo prazo para melhorar o ritmo de corrida. O time é oitavo colocado no Mundial de Construtores, com 8 pontos.

"Se você é apenas bombardeado e sabe que está se segurando por um fio, não é tão legal, mas é o que temos. É difícil de aceitar quando você tem um momento. Mas acho que precisamos pensar em longo prazo e pensar em uma solução para isso. Não há nada que possamos fazer em acerto para ajustar isso. São problemas maiores", concluiu.

Fórmula 1 volta em duas semanas, entre os dias 30 de junho e 2 de julho, com o GP da Áustria, em Spielberg, nona etapa da temporada 2023. E o GRANDE PRÊMIO acompanha tudo.