Verstappen garante que "não precisa de competição" para extrair potencial na F1

Max Verstappen admitiu que a Fórmula 1 se beneficiaria com uma competitividade maior, mas garantiu que não precisa disso para extrair o máximo de seu próprio potencial

Tricampeão mundial da Fórmula 1 no GP do Catar, Max Verstappen garantiu que não precisa de um concorrente forte para tirar o máximo de si mesmo. Analisando sua evolução no esporte, o neerlandês admitiu que a passagem do tempo foi muito importante para criar maturidade. Segundo ele, a velocidade não necessariamente aumentou, mas a experiência resultou em um nível de pilotagem ainda melhor.

"Continuo tentando melhorar e, é claro, não acho que tenha me tornado um piloto mais rápido. Porém, com mais experiência, você cresce como piloto e pessoa na vida. Todas essas coisas, em comparação ao meu primeiro ano na F1, ajudam você a lidar com cada situação de pressão ao longo de um fim de semana", destacou.

Relacionadas

"Te ajudam a lidar com alguma obrigação difícil também", explicou. "No fim, é sobre tentar entregar [resultados] em todos os finais de semana", afirmou.

O piloto admitiu que a competitividade atual da categoria deixa a desejar, mas descartou a necessidade de um concorrente próximo para elevar o próprio nível. Para Verstappen, o principal é a pressão colocada por ele sobre si mesmo.

F1 2023, GP DO CATAR, LUSAIL, DOMINGO, MAX VERSTAPPEN, RED BULL CONTENT POOL
Max Verstappen, agora tri, celebra vitória no GP do Catar (Foto: Red Bull Content Pool)

▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Além disso, o tricampeão não conseguiu apontar seu momento preferido na temporada e ficou em dúvida entre os GPs de Miami, Bélgica e Países Baixos, onde consumou recuperações importantes, além do Japão quando assegurou o hexa de Construtores para a Red Bull.

"É claro que seria bom ter mais competitividade na Fórmula 1. Mas, em minha opinião, não preciso de outra equipe ou companheiro para tirar o máximo de mim", garantiu. "Coloco pressão em mim para ser o melhor possível, é isso que gosto e a única coisa que realmente olho", destacou.

"Acho que minha vitória em Miami [foi a preferida], realmente gostei", ressaltou. "Spa e Zandvoort [também foram boas]. Mas vencer o Mundial de Construtores em Suzuka também foi fantástico. Para ser honesto, é difícil escolher uma", reconheceu.

Como argumento para a pressão que coloca sobre si, Max usou justamente o fim de semana catari — em que precisava de apenas três pontos para selar o campeonato. Apesar de uma sexta posição na corrida sprint ser suficiente, o neerlandês buscou a vitória — que acabou nas mãos de Oscar Piastri — até o fim. No dia seguinte, voltou à pista e venceu a disputa principal do fim de semana.

Max Verstappen comemorou o título com a Red Bull na sprint do Catar (Foto: Red Bull Content Pool)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

"No sábado, eu sabia que precisava de apenas três pontos para vencer o campeonato, mas ainda queria vencer. Será o mesmo amanhã e, na próxima corrida, tentarei vencer novamente. Sei que alguns a redor estão nos alcançando um pouco, então, as coisas podem se tornar um pouco apertadas. Mas a mentalidade é a mesma, e estou feliz com o que venho fazendo", apontou.

Por fim, Verstappen evitou comentar sobre uma possível saída da Fórmula 1 no futuro. Conforme já disse em outras oportunidades, o neerlandês destacou que ainda não sabe por quanto tempo terá interesse de permanecer no esporte.

"[Ser competitivo] depende bastante do conjunto também, é assim que a F1 funciona. Pessoalmente, ainda sou jovem, apesar de estar na F1 por um tempo, e ainda tenho mais alguns anos para operar em meu melhor. Vamos ver o quão longo será isso. Para ser honesto, acho que é mais sobre quanto tempo vou querer estar aqui. Isso é diferente", finalizou.

Fórmula 1 volta daqui a duas semanas, entre os dias 20 e 22 de outubro, em Austin, com o GP dos Estados Unidos, o primeiro da última perna tripla da temporada. E o GRANDE PRÊMIO acompanha tudo.