Lawson lamenta deixar F1 com 17º lugar no GP do Catar: "Muito frustrante"

Liam Lawson lamentou o resultado no GP do Catar já que Daniel Ricciardo deve voltar á Fórmula 1 no GP dos Estados Unidos, em Austin

Liam Lawson gostaria de ter encerrado sua participação na F1 2023 de uma outra forma. Como Daniel Ricciardo provavelmente voltará ao carro da AlphaTauri no GP dos EUA, o piloto neozelandês finalizou a prova catari na 17ª posição depois de lutar bastante por aderência com o AT04.

“Você quer sair em alta, então é muito difícil terminar assim. É algo realmente para entender. Tivemos uma boa largada ao lado de Stroll e [ele] simplesmente não me viu, então passou na minha frente”, explicou Lawson. "Perdi mais dois lugares, então foi obviamente muito frustrante", seguiu.

Relacionadas

"As primeiras corridas foram muito boas, estávamos nos desenvolvendo e, nesse fim de semana, acho que tivemos dificuldades", continuou.

:seta_para_frente: Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
:seta_para_frente:Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Liam Lawson (Foto: Red Bull Content Pool)

Em 2024, Lawson continuará como reserva da AlphaTauri na F1. Isso, claro, se nada mudar na situação de Sergio Pérez na Red Bull, que vive momentos decisivos — ainda que tenha contrato até o fim da temporada que vem.

Na última semana, ao argumentar que Pérez precisa melhorar imediatamente, Helmut Marko pontuou que a Red Bull ainda tem a possibilidade de apelar para a AlphaTauri, que tem Yuki Tsunoda e Daniel Ricciardo, além de Lawson — que fica à disposição das duas equipes.

“‘Checo’ precisa entregar agora. Queremos manter o contrato, que vai até 2024, e está inteiramente nas mãos dele. Temos três pilotos na AlphaTauri, e Lawson serve como reserva para os dois carros. Então, muitas coisas podem acontecer”, reconheceu. Ainda segundo ele, “mais cedo ou mais tarde, Liam estará consistentemente na F1", apontou.

Fórmula 1 volta daqui a duas semanas, entre os dias 20 e 22 de outubro, em Austin, com o GP dos Estados Unidos, o primeiro da última perna tripla da temporada. E o GRANDE PRÊMIO acompanha tudo.