Lawson diz que futuro será definido após Japão, mas "não ficaria feliz em ser reserva"

Nem mesmo os pontos em Singapura são garantia de que Liam Lawson será efetivado ao posto de titular na AlphaTauri em 2024 — situação que ele admitiu que não espera viver ano que vem

Enquanto a AlphaTauri se aproxima da renovação com Yuki Tsunoda, Liam Lawson já se vê seriamente ameaçado de voltar para a reserva da Red Bull, mesmo após ter marcado o seu primeiro ponto na Fórmula 1 já em sua terceira corrida na carreira. E o neozelandês admitiu que essa é uma situação que ele realmente não gostaria de viver.

Lawson foi chamado às pressas para substituir Daniel Ricciardo no final de semana do GP da Holanda, após o australiano ter fraturado o punho no TL2. 'Na fogueira', o jovem de 21 anos não só completou o final de semana em Zandvoort como ainda foi 11º no GP seguinte, na Itália, e cruzou a linha de chegada em nono na última etapa, em Singapura.

Relacionadas

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Liam Lawson foi nono colocado no GP de Singapura (Foto: Red Bull Content Pool)

Foi o suficiente para a imprensa estrangeira começar a especular se Lawson teria fôlego para brigar por uma vaga na equipe de Faenza em 2024, porém, de acordo com a revista alemã Auto Motor und Sport, o time B dos taurinos prepara novo acerto com Tsunoda para o ano que vem.

Em Suzuka, Lawson disse aos jornalistas que "não ficaria feliz em voltar a ser ser reserva, mas, claro, sei o quão difícil é conseguir um lugar na Fórmula 1".

"Entendo que isso pode ser muito difícil às vezes. Portanto, o que tiver de acontecer, vai acontecer, mas realmente não penso muito nessas coisas. Só estou tentando aproveitar o máximo", acrescentou, dizendo em seguida que ainda "não tive muito tempo de discutir o futuro".

"Sobre o que aconteceu (os pontos em Singapura), é muito positivo, mas a mensagem que tenho enviado para mim é sobre manter a cabeça no lugar e tentar continuar correspondendo até as coisas se esclarecerem, até essa oportunidade chegar ao fim, quando Daniel voltar. Então basicamente é sobre fazer um bom trabalho, mas continuar fazendo a mesma coisa", completou Lawson.

"Certamente quero estar na Fórmula 1. Agora que tive essa chance, tentarei fazer tudo que eu puder para mostrar que posso estar aqui. Mas sobre todas essas discussões, elas acontecerão após o final de semana", salientou.

Lawson também foi questionado sobre como tem avaliado o próprio desempenho e destacou que, embora tenha boa impressão, a F1 exige mais tempo para uma adaptação plena — o que significa que a cada corrida realizada, o neozelandês se sente mais confiante.

"Pela natureza da situação, como cheguei aqui, acho que temos ido bem. Estou correndo com caras que já fizeram 11 ou 12 corridas nesta temporada, então estamos tentando recuperar o atraso", explicou.

"Cada semana, eu me sinto mais confortável com o carro, então espero ter a sensação neste fim de semana de que estou ainda mais. Comparado a qualquer outro carro que tenha pilotado, leva muito mais tempo para me ajustar à F1", finalizou Lawson.

A Fórmula 1 volta neste fim de semana, em Suzuka, para o GP do Japão, 16ª etapa da temporada 2023. E o GRANDE PRÊMIO acompanha tudo.