Gasly em discussões com a FIA devido aos pontos de penalização: "É uma situação muito desagradável e embaraçosa"

Pierre Gasly afirma estar em conversações com a FIA para tentar retificar a "muito desagradável" situação em que se encontra no que aos pontos de penalização diz respeito.

O piloto da AlphaTauri recebeu o seu décimo ponto de penalização no Grande Prémio da Cidade do México e será forçado a falhar um Grande Prémio caso some mais dois até Maio do próximo ano.

Relacionadas

Gasly acredita que as infrações que cometeu ao longo da temporada não são suficientemente severas para motivar a aplicação de uma suspensão

"Não vou mentir, é uma situação muito desagradável e bastante delicada", disse Gasly. "De certa forma, também é um pouco embaraçoso estar numa posição em que posso ser banido por uma corrida depois da temporada que fiz."

"Não sinto que tenha sido particularmente perigoso ao longo destes últimos 12 meses. E essa seria definitivamente uma penalização severa. Mas temos tido muitas discussões com a FIA para tentar encontrar uma solução, porque quero fazer todas as corridas."

"Quero terminar a temporada da melhor forma possível com a AlphaTauri. Quero fazer todas as corridas em 2023 e ter o máximo de hipóteses com a Alpine. E, obviamente, há muito em jogo, porque ninguém sabe o que vai acontecer em 2023."

"Eu posso receber um carro incrível e lutar pelo campeonato, por exemplo. E não posso correr o risco de ser banido por uma corrida e perder todas as minhas esperanças para o campeonato."

"Portanto, é uma situação muito complicada. Tenho discutido bastante com a FIA para tentar encontrar soluções porque a forma como o regulamento está escrito neste momento é bastante rigorosa para os pilotos. Há penalizações bastante duras, embora nem sempre estejam relacionadas com condução perigosa."

"Espero que possamos encontrar uma solução antes do fim de semana para evitar acabar numa situação parva em que seria banido por uma corrida. Isso seria terrível para mim. E não creio que essa seja a abordagem correta, porque obviamente não posso entrar no próximo ano com apenas dois pontos e com esse risco sobre mim. Mas, ao mesmo tempo, não existe uma solução clara neste momento."