FIA volta a exigir tempo máximo de voltas na classificação do GP do Japão de F1

A regra, que busca evitar acidentes e impedimentos durante a classificação, voltará a valer para o GP do Japão neste fim de semana

A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) decidiu reimplementar o limite de tempo na classificação do GP do Japão. O diretor de provas da entidade, Niels Wittich, colocou a regra no GP da Itália, para evitar acidentes ou que os pilotos se atrapalhassem. Em Singapura, no entanto, a medida não foi adotada — e muitos impedimentos aconteceram no Q1, inclusive.

Por regra, os pilotos já são obrigados a cumprirem um delta de velocidade nas voltas de aquecimento e retorno aos boxes, porém, na Itália, um adendo foi publicado às notas de Wittich, determinando que esses giros não ultrapassem 1min41s entre a primeira e a segunda linha do safety-car.

Relacionadas

:seta_para_frente: Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
:seta_para_frente:Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Suzuka recebe a Fórmula 1 neste final de semana (Foto: Philip Fong/AFP)

Monza, por exemplo, é um circuito muito veloz e que exige bastante da aerodinâmica, então é comum ver pilotos tentando aproveitar o vácuo do competidor que está à frente para ganhar vantagem em voltas rápidas. Pelas características do circuito, geralmente quem puxa a fila fica em desvantagem, por isso anda mais devagar para ser ultrapassado propositalmente, só que os que estão atrás nem sempre aceitam a ‘gentileza’.

“Para a condução segura e ordenada do evento, exceto em circunstâncias excepcionais aceitas pelos comissários, qualquer piloto que exceda o tempo máximo da segunda linha do safety-car até a primeira linha do safety-car, em QUALQUER VOLTA durante e após o final da classificação, pode ser considerada desnecessariamente lenta”, confirmou Wittich.

Portanto, se qualquer piloto rodar acima do limite, podem ser penalizados. Há, assim como colocado por Wittich, algumas exceções. Na Itália, Carlos Sainz e Charles Leclerc escaparam de punição porque, segundo os comissários, estavam nos limites estabelecidos até que foram pegos por pilotos em voltas mais rápidas e abriram caminho por segurança.

Fórmula 1 volta neste fim de semana, em Suzuka, para o GP do Japão, 16ª etapa da temporada 2023. E o GRANDE PRÊMIO acompanha tudo.