Ferrari marca reunião para discutir estratégia fracassada da classificação no Canadá

Frédéric Vasseur, chefe da Ferrari, confirmou que equipe terá reunião em Maranello para tratar da decisão e da resposta de Charles Leclerc

VERSTAPPEN IGUALA SENNA NO CANADÁ + HAMILTON x ALONSO PELO VICE DA F1? | Paddock GP #334

Na lista de respostas desagradáveis que a Ferrari precisa dar na temporada 2023 da Fórmula 1, um novo item nasceu no fim de semana do GP do Canadá: por que não deixar Charles Leclerc andar de pneus slick para uma volta rápida no Q2 da classificação? A decisão da equipe custou a eliminação de Leclerc - e quase também de Carlos Sainz. Segundo a chefia, uma reunião foi marcada para esta terça-feira (20) com a finalidade de entender o passo a passo da decisão e irritação de Leclerc.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Relacionadas

Foi o que contou Frédéric Vasseur, chefe da Ferrari, ainda antes de deixar Montreal após a corrida do fim de semana.

"Temos de pensar sobre o que aconteceu. Vamos nos reunir na terça-feira para discutir o que houve e resolver", afirmou, de maneira definitiva.

É uma conversa geral, uma vez que Vasseur voltou a explicar os motivos por trás da decisão: com a chuva chegando durante o Q2, a Ferrari queria usar pneus mais aquecidos na pista que estava molhada, mas pioraria bastante. Por isso, resolveu impor os intermediários mesmo quando Leclerc pediu os macios. Deu errado e irritou o monegasco.

Charles Leclerc largou fora do top-10 em Montreal (Foto: Ferrari)

"Sempre é possível fazer um trabalho melhor, mas também é verdade que [a opinião] que você forma de segundos após a classificação nem sempre é a melhor possível. Conversamos com Charles, demos a ele o panorama completo da situação: o que aconteceu durante a classificação. E ele se acalmou", continuou.

"Naquele momento, a chuva estava chegando e queríamos marcar tempos o mais rapidamente possível. Se parássemos no fim da primeira volta para colocar pneus macios, ele precisaria de duas voltas para aquecer os pneus. Isso adiaria a volta rápida em cinco minutos. Não era a estratégia certa naquele momento", apontou.

Algo que Vasseur acredita ser uma necessidade para a Ferrari daqui em diante é esclarecer de maneira mais satisfatória aos pilotos os motivos por trás de certa decisão.

"Creio que a confusão veio do fato de que ele provavelmente não tinha o panorama completo da situação. Temos áreas em que precisamos melhorar para que Charles consiga entender nosso lado. Não dá para dizer que fizemos um bom trabalho: o ritmo era muito bom, mas terminamos em décimo e 11º, então alguma coisa deu errado", finalizou.

A Fórmula 1 volta em duas semanas, entre os dias 30 de junho e 2 de julho, com o GP da Áustria, em Spielberg, nona etapa da temporada 2023. E o GRANDE PRÊMIO acompanha tudo.

MERCEDES NÃO TEM ESCOLHA NA F1: É ASSINAR OU ASSINAR COM HAMILTON