Ferrari se diz insatisfeita e cobra "ritmo melhor para segurar Verstappen" no GP dos EUA

Com Max Verstappen largando em sexto, Carlos Sainz em quarto e Charles Leclerc na pole-position, a Ferrari terá uma boa chance para assegurar um resultado sólido no GP dos Estados Unidos, mas Frédéric Vasseur reconheceu que o carro precisa de um ritmo melhor

Mesmo assegurando o terceiro lugar na corrida sprint deste sábado (21), no Estados Unidos, com Charles Leclerc, a Ferrari deixou o sábado um tanto insatisfeita. Frédéric Vasseur, chefe do time, ainda deixou claro que vai ser preciso um ritmo muito melhor para segurar Max Verstappen no domingo.

No GP dos Estados Unidos, Verstappen será apenas o sexto, com Carlos Sainz em quarto e Leclerc na pole-position. Foi preciso, portanto, entender qual seria a melhor tática para tentar manter o #1 da Red Bull atrás o máximo de tempo possível.

Relacionadas

Para isso, a equipe calçou Sainz com a borracha mais macia, ao contrário do resto do grid, que foi de médios. "Acho que foi importante diferenciarmos a escolha dos pneus entre os dois carros para termos a chance de interpretação por conta da corrida de amanhã", disse Vasseur.

"Não estou satisfeito com a sprint, acho que poderíamos ter feito melhor, mas, ao mesmo tempo, acho que o método de trabalho distinto foi a melhor preparação para buscar uma estratégia sólida para o GP", salientou o francês, reconhecendo em seguida que uma coisa já ficou bastante clara:

Carlos Sainz foi para a sprint com os pneus macios (Foto: Reprodução/F1)

"Vamos precisar de um ritmo melhor do que hoje para segurar Verstappen", frisou. "Também faremos um balanço substancial para entender as razões pelas quais Sainz sofreu no meio do stint, em vez de se sair bem no fim com pneus macios", completou Vasseur, que aposta ainda na performance da SF-23 nos trechos de maior velocidade para dar o bote para cima da Red Bull.

"Temos boa velocidade máxima e menos downforce do que os outros em curvas de alta. É uma escolha que temos de administrar", seguiu Frédéric.

Por fim, ao ser questionado da manobra de Verstappen para cima de Leclerc na largada, o chefão do time de Maranello classificou como "agressiva", mas acredita que por estar na pole-position e ter Sainz em quarto, está "em boa posição tanto para defender quanto para atacar".

"Contaremos com nossa velocidade máxima. Obviamente, a primeira volta será crucial", encerrou Vasseur.

GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e EM TEMPO REAL todas as atividades do GP dos Estados Unidos de Fórmula 1. No domingo, a corrida oficial larga às 16h (de Brasília, GMT-3). O GRANDE PRÊMIO ainda exibe classificação, corrida curta e a corrida em segunda tela, em parceria com a Voz do Esporteatravés da GPTV — o início das transmissões se dá 15 minutos antes das atividades.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!