F1 nega medidas para impedir domínio da Red Bull e diz que objetivo é "diminuir lacunas"

Stefano Domenicali negou qualquer tipo de interferência para impedir a dominância da Red Bull e crê que as outras equipes vão evoluir para diminuir a distância

A resposta da Fórmula 1 é 'não' para quem gostaria de ver a Red Bull menos dominante na categoria. Os taurinos já deram a prévia em 2022 de como tinham um excelente carro, mas em 2023 isso parece ter ganhado uma proporção ainda maior — o bicampeão Max Verstappen segue leve e tranquilo no campeonato, sem ameaças, e o time dos energéticos está 100% na temporada por ter vencido todas as corridas até aqui.

Questionado se a F1 faria alguma coisa para tentar segurar ou aproximar as outras equipes, o chefão Stefano Domenicali deixou claro que nada será feito nesse sentido.

Relacionadas

“Não é correto porque não podemos ser vistos como manipuladores. Isso não é correto e não é justo. Não estou pensando nesse tipo de abordagem", disse ele.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Max Verstappen chegou ao 40º triunfo na F1 em Barcelona (Foto: Red Bull Content Pool)

"A F1 sempre foi um esporte em que houve ciclos em que as equipes eram muito dominantes e outras entraram na equação. Então, eu diria que nossos objetivos devem ser – se você adotar essa abordagem estratégica – garantir que esses ciclos no futuro sejam mais curtos", explicou.

Apesar da Red Bull viver uma liga própria, o resto do pelotão tem disputas interessantes — logo abaixo, por exemplo, Mercedes, Aston Martin e Ferrari travam batalha pela segunda força do grid. Domenicali sabe que não é o ideal, mas tem esperanças de que isso vá evoluir cada vez mais.

"Precisamos considerar que eles [Red Bull] fizeram um trabalho incrível. É verdade que a lacuna parece ser grande, mas precisamos ser prudentes, pois sabemos que na vida as coisas podem mudar muito rápido", acrescentou.

“Os outros estão muito, muito próximos. Se você olhar para as diferenças para as outras equipes, acho que eles fizeram um trabalho incrível, [e isso] precisa ser recompensado. Então, está claro que o objetivo é garantir que essas lacunas permaneçam as menores possíveis. Tenho certeza de que as outras equipes estão observando como podem se desenvolver abaixo do limite de custos", finalizou.

Fórmula 1 passa por uma pequena pausa e volta no próximo fim de semana, com o GP do Canadá programado para acontecer entre os dias 16 e 18 de junho — com cobertura completa do GRANDE PRÊMIO.

.