Chefes cobram estabilidade em novo formato da sprint na F1 e pedem que fãs sejam ouvidos

Christian Horner, da Red Bull, pediu que as próximas mudanças feitas no formato da sprint fiquem na F1 a longo prazo e recebeu o apoio de Mike Krack, da Aston Martin, e Andrea Stella, da McLaren

Conforme já era especulado, a Fórmula 1 confirmou após reunião da Comissão de F1 que o formato atual da corrida sprint vai passar por mudanças, mas independentemente do que for alterado, os chefes das equipes disseram que o próximo modelo precisa ficar na categoria a longo prazo. Além disso, a opinião dos torcedores deveria ser levada em conta antes de qualquer sugestão.

O tema foi discutido na coletiva de imprensa realizada em Abu Dhabi, que recebe a F1 neste final de semana. Na sexta-feira (24), a categoria divulgou uma série de decisões referentes às próximas temporadas da F1, como o não banimento dos cobertores térmicos dos pneus, data para o início do desenvolvimento do carro de 2026 e, claro, a confirmação das mudanças na sprint.

Relacionadas

Tais alterações, na verdade, ainda serão reveladas, assim com o calendário das provas curtas. Mas os chefes entrevistados foram praticamente unânimes ao defenderem que a categoria precisa de estabilidade, caso seja mesmo do interesse da F1 que as sprints permaneçam na competição.

"Precisa fazer uma pesquisa", começou Christian Horner, líder da Red Bull. "Acho muito importante que o próximo passo que dermos fique fixo por um longo período de tempo", salientou, lembrando que o conceito da sprint "é novo". "E é muito popular em algumas áreas, mas entre alguns tradicionalistas, é bastante impopular", ressaltou.

Christian Horner foi um dos que defenderam que as próximas mudanças na sprint sejam a longo prazo (Foto: Red Bull Content Pool)

A F1 já realizou uma pesquisa com os torcedores, e embora a maioria tenha concordado que "a introdução da corrida sprint melhorou o espetáculo", a diferença para os que tiveram opinião contrária não foi tão grande. Outras alternativas, como permissão de mais de um fornecedor de pneus, eram mais populares. Grid invertido também recebeu pouco apoio da parte dos fãs.

"O que quer que mude precisa persistir por um longo tempo", enfatizou Horner, defendendo mais uma fez que os torcedores precisam ser ouvidos. "O feedback dos fãs será crucial nisso, o que o público realmente deseja? Eles realmente gostam da sprint da forma como ela é? Ou realmente querem ver um pouco mais de corrida com a sprint?"

“Se sim, se vamos continuar, como vamos atribuir os pontos? Como incentivamos pilotos e equipes? Portanto, há muitos tópicos associados a ela. Porém o mais importante e fundamental é: o que os fãs querem?”, insistiu.

Mike Krack, chefe da Aston Martin, disse que "concorda totalmente" que a F1 "não deve ser apressada depois de algumas corridas” para fazer “pequenas mudanças ou pequenos ajustes” e também defendeu uma solução que seja a longo prazo.

“A sequência de sessões já é uma mudança que temos de ver no que vai dar. Também terá outras consequências ou implicações. Portanto, o mais importante, e esse é o ponto que Christian destacou, é o que os fãs querem. Porque fazemos isso por eles. Isso precisa ser levado cuidadosamente em consideração. E também, ao mudar, pense nas implicações e não tente consertar alguma coisa novamente duas corridas depois", cobrou.

Andrea Stella, da McLaren, ainda descartou a necessidade de mudanças drásticas no atual formato. "Precisamos ter certeza de que não haverá mudanças com muita frequência, muito rapidamente, porque não teríamos tempo para nos adaptar, absorver um fim de semana de F1 como se espera."

"Por isso achamos que, embora melhorias sejam necessárias, elas devem ser relativamente incrementais, ter mais corridas sprint. Assim será possível termos dados melhores, informações melhores para ver qual direção o negócio da Fórmula 1 deve seguir. Não achamos que devem ser feitas mudanças dramáticas na execução da sprint", concluiu Stella.

GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e EM TEMPO REAL todas as atividades do GP de Abu Dhabi de Fórmula 1. No sábado, o TL3 inicia às 7h30 (de Brasília), com a classificação às 11h. Por fim, a largada, no domingo, está programada para as 10h. Em SEGUNDA TELA, o GP acompanha a etapa com transmissões da classificação, da sprint e da corrida. Na sexta-feira, no sábado e no domingo, o BRIEFING repercute tudo que acontece na etapa final da temporada 2023.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!