Aston Martin lamenta classificação na Hungria: “Tínhamos potencial para mais”

Mike Krack, chefe da Aston Martin, lamentou o resultado na classificação, mas acredita que seus pilotos poderão fazer uma boa corrida de recuperação no domingo

A Aston Martin não ficou contente com o resultado obtido na classificação do GP da Hungria, realizada na manhã deste sábado (22). Depois de ver Fernando Alonso terminar o dia apenas na oitava posição, enquanto Lance Stroll caiu no Q2 e vai partir de 14º, Mike Krack, chefe da equipe, lamentou o desempenho dos pilotos. De acordo com o dirigente, o AMR23 tinha potencial para proporcionar algo melhor no Hungaroring.

A Aston Martin começou 2023 como segunda força entre os construtores, mas parece perder terreno à medida que a temporada avança. Fora do pódio desde o GP do Canadá, o time britânico vê equipes como Mercedes e McLaren crescerem no campeonato e já desponta para ser a terceira ou quarta melhor escuderia do grid.

Relacionadas

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Fernando Alonso foi apenas o oitavo na classificação(Foto: AFP)

Por isso, Krack lamentou o resultado obtido por Alonso e Stroll na manhã de sábado e espera que os pilotos sejam capazes de recuperar terreno. Afinal, a corrida é o ponto forte do AMR23.

“Tínhamos potencial para estar um pouco acima no grid hoje, mas alguns de nossos concorrentes diminuíram a diferença e encontraram alguma velocidade. Você sempre tem um grid apertado aqui e essas pequenas margens fizeram a diferença”, avaliou o dirigente.

“É o amanhã que conta e, geralmente, somos mais competitivos aos domingos. Será interessante ver como a corrida se desenrola porque a degradação dos pneus é relativamente alta nesta pista, o que pode resultar em uma variedade de estratégias”, finalizou.

A Aston Martin é a terceira colocada no Mundial de Construtores com 181 pontos somados. A Ferrari é uma grande ameaça nessa disputa e vem logo atrás, com 157 tentos.