Abu Dhabi vive sexta-feira de treinos anômala e confunde ordem de forças da Fórmula 1

Um primeiro treino livre cheio de novatos e um segundo com duas bandeiras vermelhas tornaram a sexta-feira da F1 em Abu Dhabi uma das mais estranhas da temporada de 2023. Sem muito tempo para dados ou simulações, virou quase um fim de semana de sprint, ou seja, difícil de prever a ordem de forças e entender o que está por vir

Depois de um GP de Las Vegas dramático e altamente caótico, a esperança era de um fim de semana menos agitado e mais comum. E Abu Dhabi, convenhamos, era um convite a isso: circuito mais do que padrão, onde as equipes chegam quase com o acerto pronto. Mas não foi o que aconteceu nesta sexta-feira (24). A Fórmula 1 se deparou com um dia também muito tumultuado e de pouquíssimas conclusões para o restante do fim de semana. Isso porque a combinação de um treino cheio de novatos com uma sessão duas vezes interrompida acabou por confundir e dar um ar de suspense para um geralmente sem graça GP em Yas Marina, o derradeiro de 2023.

De fato, a atividade que deu início aos trabalhos viu dez jovens tomarem cockpits de titulares de peso como Max Verstappen, Lewis Hamilton, Fernando Alonso, Lando Norris e Charles Leclerc. A Red Bull optou ainda por abrir mão de Sergio Pérez. Quer dizer, quando os reais donos dos carros tiveram a chance de ir à pista, o tempo precisaria ser compensado. E alguns, como Leclerc — que liderou o dia — e Norris, aproveitaram mais, outros enfrentaram mais problemas, como Hamilton e Verstappen. Principalmente porque a sessão mais importante do dia teve apenas 26 minutos, devido a duas bandeiras vermelhas: a primeira causada por um acidente de Carlos Sainz; já a segunda ficou na conta de Nico Hülkenberg.

Relacionadas

O segundo treino ganha em atenção porque é o mais próximo do horário da classificação e, especialmente, da corrida de domingo. Portanto, é o melhor momento para testar configuração, avaliar pneus e conduzir simulações — também do ponto de vista das temperaturas e do asfalto árabe. Só que não houve tempo para nada disso. Há uma desordem na hierarquia de forças neste momento porque simplesmente não há como cravar quem possui o melhor ou pior ritmo de corrida, por exemplo, ou como a classificação vai se dar.

É bem verdade que a Ferrari mostrou ritmo em volta única, mas também é certo dizer que esse é o forte dessa SF-23. Charles foi veloz imediatamente e parece não ter enfrentado qualquer problema ao longo dos minutos em que esteve na pista. O monegasco fechou o TL2 em 1min24s809, mas apenas 0s043 melhor que Norris, o segundo colocado com a McLaren.

LEIA TAMBÉM
+5 coisas que aprendemos na sexta-feira do GP de Abu Dhabi da Fórmula 1 2023

Deste ponto de vista, a performance põe a equipe italiana em vantagem na briga pelo vice com a Mercedes, mas será necessário replicar esse desempenho no sábado, aproveitando a fragilidade da rival neste aspecto. Há, no entanto, uma ressalva. Leclerc foi capaz de completar apenas duas voltas rápidas e cinco em ritmo de corrida. Além disso, embora não tenha sido com o mesmo impacto de Las Vegas, a batida de Sainz resulta em um trabalho maior, não só em reparos, mas também no acerto — principalmente, porque o asfalto de Abu Dhabi apresentou ondulações e certa irregularidade, e isso deve afetar a configuração geral, em termos de altura, comportamento dos pneus e downforce. O espanhol deixou de coletar informações importantes, sem contar o fato de que vai quase que no escuro, de novo, para a classificação.

"Foi um dia complicado, só conseguimos completar duas voltas rápidas e, mesmo no geral, foram poucas voltas também, mas o carro parece bom até agora", garantiu o dono do carro #16, que deu lugar a Robert Shwartzman, na primeira sessão do dia.

"A briga com a Mercedes está aí, eles parecem competitivos também, então, não vai ser fácil. Faremos tudo que pudermos para classificar na frente deles", emendou o piloto. Bom lembrar que a diferença entre o time de Maranello e a esquadra da estrela é de apenas 4 pontos.

Só que a disputa entre as duas gigantes não será direta, ao menos depois do que se viu nesta sexta. A McLaren parece ter retomado seu posto, após uma etapa das mais complexas em Las Vegas. Acontece que o circuito de Yas Marina é mais agradável ao carro laranja, ainda que tenha alguns trechos de baixa velocidade, o calcanhar de Aquiles dos ingleses. Ainda assim, Norris terminou o dia colado na Ferrari, enquanto Oscar Piastri apareceu em décimo. De toda a forma, a esquadra de Zak Brown será a pedra no sapato de alemães e italianos.

O acidente de Carlos Sainz no TL2 (Vídeo: Dazn)

"Foi um dia produtivo, mesmo com os dois treinos livres muito afetados e com tempo de pista bem restritos. Ainda assim, conseguimos entender o comportamento dos pneus, temos bons dados para analisar e melhorar a performance do nosso carro. Parecemos mais competitivos em Las Vegas, mas o pelotão está compacto de novo", reconheceu o chefe Andrea Stella.

Enquanto isso, a Mercedes atravessou um dia daqueles. George Russell até liderou a sessão inicial, mas de nada valeu. Não é uma performance que represente muito. Porque, na realidade, o desempenho em volta única ainda é uma questão. No momento, a equipe alemã é a quarta colocada nesse quesito. Russell fechou a tabela do TL2 em sexto, com mais de 0s3 de desvantagem para o líder. Já Hamilton ficou duas posições atrás, acima de 0s5.

O dono do carro #63 ainda entende que a Mercedes tem pela frente um fim de semana promissor, apesar de admitir que não tem certeza sobre o patamar de performance das rivais. O heptacampeão, no entanto, relatou mais problemas e acha que o time de Brackley terá trabalho pela frente até a classificação e corrida. Historicamente, a equipe costuma se dar bem em Abu Dhabi e, de fato, o traçado até ajuda o W14, que também acaba crescendo em ritmo de corrida. E esse foi o foco durante o segundo treino. Dá para dizer que, apesar da limitação de tempo, os octacampeões estão muito bem.

"George teve um TL1 limpo. Estávamos perdendo muitos carros de referência, então não estávamos lendo muito a tabela de tempos. Mas conseguimos obter uma leitura do equilíbrio de combustível alto e baixo e fizemos algumas alterações no TL2", explicou Andrew Shovlin, engenheiro da Mercedes.

"A segunda sessão foi bastante comprometida pelas bandeiras vermelhas. Isso foi claramente sentido por todos os pilotos que ficaram de fora do TL1, e Lewis ficou compreensivelmente frustrado por não conseguir dar mais voltas. Há muito o que fazer durante a noite, mas pelo menos temos uma ideia de onde precisamos melhorar o carro”, completou.

Max Verstappen demonstrou pouca paciência com os rivais (Vídeo: Dazn)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Mas e a Red Bull? Bem, os atuais campeões também enfrentaram um dia complicado. Verstappen concluiu a sexta-feira em Abu Dhabi com uma estranha terceira posição. Esquisita diante dos problemas que ele relatou. Houve, sim, uma questão envolvendo o equilíbrio do RB19. O carro "pula como canguru", reclamou Max. De fato, o tricampeão encontrou mais dificuldades nos setores 1 e 2 e só conseguiu compensar no trecho final, que aceita mais o modelo taurino. E admitiu que o time austríaco "está mais longe do que o esperado".

"Do nosso lado, o equilíbrio estava muito ruim. Muito subesterço e muitos saltos, então, definitivamente, temos de pensar em algumas coisas para amanhã. Eu também não esperava que estivéssemos tão longe, então isso também é um ponto de interrogação para nós. Quero dizer, ainda estamos em terceiro. Não é tão ruim. Mas, em termos de equilíbrio, acho que podemos melhorar muito. Então, vamos tentar dar uma olhada no que aconteceu", disse o piloto da Red Bull.

Mesmo assim e diante da temporada dominante, os rubro-taurinos seguem favoritos à pole e à vitória, mas talvez com uma concorrência maior, ao menos na classificação. Só que nada, diante de uma sexta-feira tão esquisita, está totalmente garantido.

GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e EM TEMPO REAL todas as atividades do GP de Abu Dhabi de Fórmula 1. O TL3 será realizado às 7h30 de sábado, enquanto a classificação acontece às 11h. No domingo, a largada está programada para as 10h.

Em SEGUNDA TELA, o GP acompanha a etapa com transmissões da classificação, da sprint e da corrida. Na sexta-feira, no sábado e no domingo, o BRIEFING repercute tudo que acontece na etapa final da temporada 2023.