Toyota diz que atropelamento de esquilo prejudicou #8 em Le Mans: "Danos grandes"

Diretor-técnico da Toyota, Pascal Vasselon revelou que Ryo Hirakawa atropelou um esquilo durante as 24 Horas de Le Mans, o que prejudicou o rendimento do carro #8

Pela primeira vez nos últimos cinco anos, a Toyota saiu derrotada na disputa das 24 Horas de Le Mans, que terminou com vitória da Ferrari no último fim de semana — a primeira da escuderia italiana na prova desde 1965. E, em uma edição em que o conjunto japonês em nenhum momento demonstrou a superioridade à qual se acostumou nas últimas participações, um esquilo teve papel fundamental no desenrolar dos acontecimentos.

Antes do erro de Ryo Hirakawa, que foi no muro durante a penúltima hora de corrida e selou o destino da Toyota, o japonês viveu uma situação insólita no Circuito de La Sarthe: atropelou um esquilo, o que danificou a dianteira de seu carro e o fez perder cada vez mais tempo em relação à Ferrari #51 — que dizimou a vantagem dos rivais na ponta e assumiu a liderança no momento em que o carro #8 foi aos boxes.

Relacionadas

▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

O Toyota #8 - de Ryo Hirakawa, Sébastien Buemi e Brendon Hartley - brigou quase até o fim, mas bateu e terminou em segundo (Foto: WEC)

"Nós tivemos algumas janelas [de tempo] em que estávamos, às vezes, dominando as Ferrari", apontou Pascal Vasselon, diretor-técnico da Toyota. "Há uma lógica por trás disso. Logo depois de um desses momentos em que éramos competitivos, Ryo [Hirakawa] acertou um esquilo", revelou.

"Não era um esquilo pequeno, provavelmente, porque causou grandes danos na dianteira do carro", lamentou. "Ele ficou com problemas até o fim do stint, quando pudemos trocar a parte da frente", disse.

Apesar da troca, a Toyota não conseguiu mais recuperar o tempo perdido. Aconselhado a forçar ao máximo quando voltou à pista, Hirakawa cometeu um erro sob frenagem e atingiu o muro. O japonês ainda retornou à corrida, mas as chances de vitória — que já eram pequenas — foram por água abaixo.

O atropelamento do esquilo não foi o único problema vivido pela Toyota em Le Mans. Enquanto o carro #8 ainda conseguiu cruzar a linha de chegada no segundo lugar, o #7 não teve a mesma sorte e abandonou após Kamui Kobayashi ser envolvido em um acidente dentro de uma das zonas lentas da pista.

Após acertar o esquilo, Rio Hirakawa perdeu o controle do Toyota #8 e foi no muro (Vídeo: 24 Horas de Le Mans)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Segundo Vasselon, o abandono do japonês fez com que a equipe temesse encerrar a corrida sem nenhum carro na pista, já que a temperatura do #8 — que seguiu na disputa — começou a aumentar de forma alarmante. Na parada dos boxes, a montadora descobriu que alguns detritos impediam a passagem correta de ar no motor.

"Naquele momento, pensamos realmente que perderíamos os dois carros", destacou. "Ao mesmo tempo, tivemos um aumento gigante de temperatura no motor do carro #8, sem indicações do que estava acontecendo. Não havia nada visível de fora, os índices aerodinâmicos estavam bons", argumentou.

"Nós decidimos remover a parte dianteira, trocá-la e dar uma olhada", explicou. "Havia um grande pedaço de Kevlar [polímero resistente ao calor encontrado também nas carrocerias dos hipercarros] preso na parte de dentro da suspensão, bloqueando o fluxo [de ar] do resfriador. Pudemos removê-lo e seguir na corrida", finalizou.