McLaren traz ex-chefão da Indy e negocia com Kyle Busch para 500 Milhas de Indianápolis

Chefão da Indy entre 2005 e 2007, Brian Barnhart trabalhava como estrategista de Alexander Rossi na Andretti. Executivo foi apresentado na McLaren, mas ainda sem função definida

Depois da surpreendente saída de Taylor Kiel, a McLaren já correu atrás para reforçar a diretoria do time da Indy. Brian Barnhart foi apresentado nesta quinta-feira (22) aos funcionários da equipe. O cargo ainda não foi informado por Zak Brown, diretor-executivo do grupo.

Barnhart é mais conhecido por ter sido o presidente da Indy entre 2005 e 2007. Ele também ocupou o posto de diretor de provas da categoria, além de também ter trabalhado como presidente da antiga equipe Harding Steinbrenner Racing, e estrategista de Alexander Rossi na Andretti.

Segundo a agência americana Associated Press, Taylor Kiel, que anunciou a saída da McLaren na última terça-feira, deve ser apresentado na Chip Ganassi Racing assim que a cláusula de competitividade expirar. O executivo esteve com a McLaren desde os tempos de Sam Schmidt Motorsports, ainda na Indy Lights.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Pato O’Ward é um dos pilotos da McLaren (Foto: McLaren)

LEIA MAIS: Presidente da McLaren na Indy, Kiel anuncia saída após dois anos no comando

Além da contratação de Barnhart, a McLaren avalia a contratação de Kyle Busch, bicampeão da Nascar, para uma participação em um quarto carro nas 500 Milhas de Indianápolis de 2023. Recentemente, o piloto anunciou a saída da equipe Joe Gibbs Racing após 15 temporadas para assinar com a Richard Childress, que é um time Chevrolet e ajudaria no intercâmbio do piloto.

Para 2023, a McLaren vai expandir o programa na Indy para três carros durante toda a temporada. O mexicano Patricio O’Ward e o sueco Felix Rosenqvist foram mantidos, e ganham a chegada do americano Alexander Rossi, vencedor da Indy 500 de 2016.

A temporada 2022 também ficou marcada por um imbróglio com Álex Palou. O time chegou a assinar com o espanhol, mas a Ganassi exerceu a opção de uma renovação automática com o campeão de 2021. Após diversas audiências judiciais, ficou definido que o piloto fica onde está em 2023, mas ganhou permissão para testar pela McLaren com carro de F1 e deve se transferir oficialmente ao time em 2024.

FIA ACERTA COM HERTA, MAS PRECISA REVER SUPERLICENÇA NA F1 [GP às 10]

O post McLaren traz ex-chefão da Indy e negocia com Kyle Busch para 500 Milhas de Indianápolis apareceu primeiro em Grande Prêmio.