Power 2014 x Power 2022

Will Power é bicampeão da Indy. No Lado a Lado desta semana, o GRANDE PREMIUM compara os números do australiano nas duas temporadas que renderam título

POWER BICAMPEÃO DA INDY: A CORREÇÃO DE UMA INJUSTIÇA HISTÓRICA

Demorou, mas veio aí. Após uma espera de oito anos, Will Power se juntou ao hall dos pilotos bicampeões da Indy. Em uma temporada bastante regular e competitiva, o australiano superou os altos e baixos do companheiro de equipe Josef Newgarden e o ano modesto de Scott Dixon para prevalecer e levantar a Astor Cup pela segunda vez.

No Lado a Lado desta semana, o GRANDE PREMIUM compara os números das duas conquistas do #12 da Penske.

2014

Will Power conquistou o título de 2014 pela Penske (Foto: Indycar)

Vitórias: 3
Pódios: 7
Poles: 4
Pontos: 671
Vantagem final sobre rival: 62

2014 foi um ano bastante curioso da Indy, especialmente pelo calendário. A programação era maior, com 18 corridas, sendo 3 rodadas duplas. A classificação da Indy 500 também passou a ter um peso gigantesco, com uma distribuição de pontos próxima a de uma corrida.

Power teve um início de temporada fortíssimo, com uma vitória na abertura do ano em St. Pete, após ultrapassar Takuma Sato, e com um pódio em Long Beach. O australiano foi conduzindo a liderança do certame até a Indy 500, vencida por Ryan Hunter-Reay, que tomou a ponta.

Will tomou as rédeas do campeonato depois de uma grande rodada em Detroit, com uma grande vitória no sábado após batalha com Graham Rahal, e um pódio no domingo. Seu grande rival no campeonato acabou se tornando o companheiro de equipe Helio Castroneves, que assumiu a liderança após a etapa de Iowa.

Helio até sustentou a liderança após a rodada dupla de Toronto, mas entrou em uma espiral péssima na reta final do campeonato, falhando em chegar no top-10 nas últimas cinco corridas do ano. Mais regular, Power ainda venceu em Milwaukee, na antepenúltima corrida do ano, antes de outras duas chegadas à frente do brasileiro para cravar o título com 62 pontos de vantagem, em tempos onde a última corrida do ano dava pontuação dobrada.

2022

Will Power está no lugar dos grandes (Foto: Indycar)

Vitórias: 1
Pódios: 9
Poles: 5
Pontos: 560
Vantagem final sobre rival: 16

Assim como em 2014, Power teve um início de campeonato forte, mas curiosamente mais regular e “comendo pelas beiradas”. Ele foi ao pódio com o terceiro lugar nos GPs de St. Pete e Indianápolis 1, e com o quarto lugar nas outras três provas disputadas, assumiu a liderança do campeonato quando a Indy 500 chegou, mesmo ainda sem vencer.

A Indy 500 foi abaixo do esperado para o australiano, mas a resposta veio em seguida: na melhor performance que teve em 2022, venceu o GP de Detroit após largar da 16ª colocação e reassumiu a ponta, tirando Marcus Ericsson da frente. O problema é que, a partir de Road America, o sueco entrou numa fase muito boa e o australiano teve algumas oscilações, perdendo até o segundo lugar do campeonato.

Porém, o cenário mudou completamente após a rodada dupla de Iowa. Power foi ao pódio duas vezes naquele fim de semana e viu o companheiro de equipe Josef Newgarden desperdiçar a chance de ser líder ao bater sozinho enquanto liderava no domingo.

Depois disso, Power até foi incomodado em alguns momentos por Newgarden e também por Scott Dixon, mas os três pódios nas cinco corridas finais do campeonato garantiram o segundo título da carreira, com 16 pontos de frente para Josef, já sem a regra esdrúxula de pontuação dobrada na final.

O post Power 2014 x Power 2022 apareceu primeiro em Grande Prêmio.