Palou volta atrás, quebra acordo com McLaren e decide ficar na Ganassi

Após dois meses de litígio em cima da decisão de sair da Ganassi para ir à McLaren, Álex Palou mudou de ideia. Palou fica na Ganassi em 2023

Acabou o drama entre Álex Palou e a Ganassi. De surpresa, na manhã desta quarta-feira (14), o campeão da Indy na temporada 2021 anunciou que as partes chegaram a um acordo e que vai permanecer na Ganassi e guiar o tradicional carro #10 em 2023.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

“Estou animado em anunciar que a Ganassi e eu chegamos a um acordo, e estarei de volta ao carro #10
na temporada que vem. Estou ansioso por um grande 2023″, publicou no Twitter junto a uma imagem de comemoração após o GP de Laguna Seca em 2021, que valeu o campeonato.

O acordo põe um fim no litígio que começou dois meses atrás, em 12 de julho, quando a Ganassi anunciou a renovação contratual apenas para que, instantes depois, Palou fosse às redes afirmar que aquilo não era verdade e que estava acertado com a McLaren.

Álex Palou e o carro #10 vão para um terceiro ano juntos (Foto: IndyCar)

A permanência de Palou no #10 aponta a sobrevida de Felix Rosenqvist como titular da McLaren na Indy. O sueco havia renovado contrato com o time de Zak Brown, mas tinha sua vida encaminhada para ser piloto da nova equipe McLaren – com espólio da Mercedes – na Fórmula E.

No entanto, Rosenqvist nunca escondeu que gostaria de permanecer na categoria e até havia sido liberado pela chefia para negociar com outras equipes. Minutos depois da confirmação de Palou, a McLaren soltou um comunicado confirmando que Felix forma o trio titula ao lado de Pato O’Ward e do recém-contratado Alexander Rossi.

A ida de Palou à McLaren não tinha categoria definida. Inicialmente, o piloto havia apenas acertado com a equipe e ainda seria encaixado em alguma parte onde a McLaren está envolvida. Chip Ganassi ficou furioso e considerou até tirar o espanhol do carro para o restante do campeonato 2022 da Indy, ideia que ficou pelo caminho. Semanas depois, a Ganassi acionou o piloto na justiça. Como resposta, a advogada de Palou, Rachel E. Epstein, da firma Quinn Emanuel Urqhart & Sullivan, entregou a verdadeira motivação do acordo entre o piloto e a McLaren: a chance de uma vaga na F1.

“Estamos decepcionados que a Chip Ganassi Racing tenta impedir Álex de uma oportunidade de competir na Fórmula 1, e ainda mais com o processo e os comentários contínuos à imprensa sobre esse assunto”, afirmou.

Na virada do mês de agosto, porém, Oscar Piastri fez com a Alpine algo semelhante ao que Palou fez com a Ganassi: desmentiu publicamente a informação de um acerto. Mas um acordo entre McLaren e Piastri para que o francês assumisse a vaga de Daniel Ricciardo para 2023, apesar de não ser oficial, era conhecida. Mais tarde, a informação de que Piastri assinou com a McLaren em 4 de julho: antes, portanto, de Palou dar um ‘não’ público na Ganassi. A vaga que buscava não estava disponível. Agora, fica na vaga que estava esperando por ele.

PALOU SEGUE FIRME NA INDY 2022 APESAR DE DRAMA GANASSI x McLAREN

O post Palou volta atrás, quebra acordo com McLaren e decide ficar na Ganassi apareceu primeiro em Grande Prêmio.