Wehrlein se irrita e deseja que De Vries “nunca chegue à F1” após batida em Seul

Nyck de Vries e Pascal Wehrlein abandonaram eP de Seul após dois incidentes consecutivos, e alemão da Porsche se revoltou com defesa de posição por parte do neerlandês — que ainda sonha com a F1

ROSENQVIST SE REBELA E PODE LARGAR MCLAREN POR VAGA NA INDY 2023

Nyck de Vries e Pascal Wehrlein, dois dos mais criticados pilotos do grid da Fórmula E — entre os próprios competidores — por suas manobras defensivas, se encontraram no último domingo (14), enquanto a categoria realizava sua corrida de encerramento, em Seul, e o resultado não poderia ser diferente: ambos bateram e abandonaram. No entanto, muito além do acidente, o que chamou atenção foi a reação do alemão, que se revoltou pelo rádio em contato com a Porsche.

“Eu espero que ele não consiga chegar à Fórmula 1”, afirmou Wehrlein ainda no cockpit do carro #94, que nem conseguiu fazer o caminho de volta ao pit-lane e precisou ser deixado às margens da pista. “É um idiota do caralho”, completou o alemão, completamente revoltado.

A referência de Wehrlein foi em relação à batalha de De Vries para conseguir chegar à Fórmula 1, desde que se sagrou campeão da F2 em 2019. Apesar de ser considerado um dos grandes talentos de sua geração, o neerlandês nunca chegou perto de fato de uma vaga e só participou de sessões de treinos livres com Mercedes e Williams. Piloto reserva da equipe alemã na F1, Nyck deve permanecer na Fórmula E em 2023, mas desta vez como companheiro de Edoardo Mortara na Maserati — que vai assumir as operações da Venturi.

Sobre a batalha entre os dois, o toque aconteceu quando os pilotos brigavam pela 13ª posição, logo depois da reta principal. Wehrlein tentou um ataque sobre De Vries, que se defendeu de forma dura na curva 20 — segundo o alemão, com uma mudança de direção durante a frenagem, reclamação que se tornou constante sobre o campeão de 2021.

De Vries fechou temporada apagada com batida em Wehrlein (Foto: Mercedes)

▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Pascal fritou os pneus e perdeu duas posições, mas conseguiu continuar na disputa. Na volta seguinte, De Vries acionou o modo de ataque e retornou atrás do alemão, que não esperava uma tentativa de ultrapassagem na curva 1. Com a potência extra, Nyck foi para cima e espalhou, tocando na parte frontal do carro do rival e encerrando a corrida de ambos — foi punido em 5s pelo incidente, mas já havia abandonado a prova.

“Primeiramente, no primeiro incidente ele se moveu sob frenagem na curva 20”, reclamou Wehrlein ao portal The Race após a corrida. “Eu tive que travar minhas rodas, quase bati e perdi uma ou duas posições por causa disso”, lamentou.

“Uma volta depois, acho que ele tinha o modo de ataque ativado e sua primeira opção foi tentar uma ultrapassagem super otimista na curva 1”, relembrou Pascal. “Ele espalhou completamente para fora da curva, bateu no meu carro, quebrou a suspensão e destruiu sua corrida com uma frenagem tão tardia. Ele nem conseguiu acertar a curva, o que não é compreensível”, criticou o alemão.

“Esses movimentos não são comuns nesse campeonato. No fim, minha corrida foi destruída, sua corrida foi destruída e ele ainda levou uma punição por isso com pontos na habilitação”, ressaltou Wehrlein. “São quase sempre os mesmos pilotos com esses movimentos otimistas, e infelizmente dessa vez eu fui a vítima disso”, finalizou.

Wehrlein já havia entrado em confronto com Buemi em Londres (Foto: The Race)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Por outro lado, De Vries apresentou uma versão diferente sobre a disputa que causou o abandono duplo. O piloto neerlandês argumentou que não tentou se defender na primeira tentativa de ultrapassagem de Wehrlein, e assim que ativou o modo de ataque e se colocou atrás do alemão, esperava a mesma atitude por parte do rival.

“Eu o deixei passar porque não queria realmente brigar naquele momento da corrida”, revelou. “Quando ativei o modo de ataque e fiquei atrás dele, eu esperava o mesmo tipo de abordagem na corrida, mas ele queria lutar. Eu já estava comprometido [no meio do movimento de ultrapassagem], e sua dianteira direita tocou minha traseira esquerda. No fim da contas, foi isso que resultou no furo [de pneu]”, destacou.

Com o toque, os dois pilotos abandonaram: De Vries recolheu aos boxes da Mercedes com um furo no pneu e problemas na suspensão, enquanto Wehrlein teve danos terminais e nem conseguiu chegar ao pit-lane. Foi a coroação de uma temporada apagada de ambos, que chegaram a vencer corridas mas nunca almejaram de fato a briga pelo título — que ficou com Stoffel Vandoorne, companheiro de Nyck no time alemão.

Wehrlein, inclusive, somou sua segunda etapa consecutiva tendo problemas com outro piloto. Em Londres, o piloto alemão foi cobrar Sébastien Buemi por uma defesa de posição e viu o suíço subir o tom, quase chegando às vias de fato e precisando de um diretor da Andretti para separar os dois.

O post Wehrlein se irrita e deseja que De Vries “nunca chegue à F1” após batida em Seul apareceu primeiro em Grande Prêmio.