Glickenhaus alega corte de custos e anuncia ausência da etapa de Fuji do WEC

Equipe norte-americana fica de fora pela primeira vez do WEC desde a pandemia da COVID-19. Decisão afeta diretamente o brasileiro Pipo Derani

A Glickenhaus Racing está fora da etapa de Fuji no Mundial de Endurance, penúltima etapa da temporada 2022 do WEC que será disputado em setembro. A decisão, anunciada neste sábado (9) pelo proprietário da equipe, Jim Glickenhaus, se dá por motivos financeiros e impacta diretamente Pipo Derani, juntamente com os companheiros Ryan Briscoe, Olivier Pla e Romain Dumas.

Ainda não se sabe, porém, se o time norte-americano ficará de fora das 8 Horas do Bahrein, corrida que fecha o Mundial em novembro. Como os custos são altos, os eventos exigem que as equipes sediadas na Europa enviem seus carros para a Ásia em meio a um forte aumentos nos preços de frete este ano.

Esta será a primeira vez que a Glickenhaus deixa de participar do WEC desde o advento da pandemia da COVID-19 e deixa Toyota, Peugeot e Alpine como os participantes restantes na classe Hypercar. À edição alemã do Motorsports, Jim deu mais detalhes do porquê desta decisão. “Não há muito mistério nisso, estamos passando por um processo de arranjar financiamento para nossa empresa que nos permite expandir significativamente em caminhões de célula de combustível de hidrogênio”.

Glickenhaus não descartou a possibilidade de voltar à categoria em 2023, mas afirmou também que a medida foi tomada há tempos, faltando apenas a confirmação pública da categoria. “Temos que descobrir exatamente o que fazer com o WEC, mas estamos otimistas para aumentar nossa participação a partir do ano que vem. E, neste momento, não temos como gastar dinheiro para ir ao Japão porque esgotamos toda a capacidade de produção para nossos carros”.

Pipo Derani será um dos pilotos afetados pela saída da Glickenhaus no Mundial de Endurance (Foto: WEC)

A organização do Mundial de Endurance, inicialmente, tornou obrigatório que as equipes da Hypercar tivessem ao menos um carro que garantisse a participação em toda a temporada e enfatizou que todos deveriam seguir essas regras para um campeonato mundial da FIA. A Glickenhaus Racing anunciou, inicialmente, um programa que contemplava todo o ano de 2022 em novembro passado, incluindo a participação de dois carros nas 24 Horas de Le Mans.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

A equipe norte-americana não decidiu, ainda, se vai se inscrever para o Mundial de Endurance em 2023, que terá Ferrari, Porsche e Cadillac como novas integrantes na Hypercar. A Glickenhaus também olha para o IMSA, uma vez que a categoria permitirá carros construídos de acordo com os regulamentos Le Mans Hypercar do WEC a partir da temporada que vem. Porém, há uma exigência de produzir 2.500 carros/ano, o que pode inviabilizar a entrada.

“Com base em nosso financiamento, você sabe, nossa captação de recursos vem de investidores, vamos descobrir o que faz sentido. Mas não podemos gastar dinheiro no WEC sem uma maneira de anunciar algo, portanto, nas próximas oito semanas, teremos mais informações sobre o que faremos exatamente. Mas essa é a situação”, completou Jim.

O post Glickenhaus alega corte de custos e anuncia ausência da etapa de Fuji do WEC apareceu primeiro em Grande Prêmio.